Anúncios

O jornalista e morreu na manhã desta sexta-feira (17), aos 78 anos, em decorrência de complicações do novo coronavírus (Covid-19). Ele apresentava o clássico programa O Pulo do Gato, na Rádio Bandeirantes, desde a estreia em 1973. O jornalista estava internado desde o dia 7 no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

José Paulo de Andrade virou um ícone da rádio paulistana com o programa O Pulo do Gato. Em mais de 50 anos na Rádio Bandeirantes, esteve à frente de diversos programas, como o Jornal de São Paulo e Entrevista Coletiva.

Nos últimos dias, o apresentador estava afastado da Rádio Bandeirantes para o tratamento da doença. Thays Freitas, que trabalhava ao lado de José Paulo de Andrade no Jornal Gente, revelou há dez dias o diagnóstico de Covid-19 ao responder ouvintes que a questionavam sobre a ausência do colega.

De acordo com a emissora, o jornalista sofria de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e, por esta razão, já apresentava os programas de sua casa, muito antes do início da por causa da pandemia do coronavírus.

“Com uma voz firme, amplo conhecimento político-econômico, são-paulino fanático e um dos maiores formadores de opinião do Brasil, José Paulo tinha um coração gigante e um caráter ímpar”, diz a nota enviada pelo Grupo Bandeirantes.

Casado e pai de dois filhos, José Paulo e era formado em direito pela USP. Nascido em São Paulo, começou sua carreira profissional em 1960 como radioescuta do plantão esportivo da Rádio América de São Paulo. E ingressou na Rádio Bandeirantes para atuar como locutor esportivo em 1963, função que exerceu ao longo de 14 anos.

Na TV, participou de debates políticos e foi âncora de telejornais como Titulares da Notícia, Jornal de São Paulo, Rede Cidade, Band Cidade e Entrevista Coletiva. Ainda na Band, interpretou Don Diego/Zorro em As Aventuras do Zorro, em 1969.

Em 1978, o jornalista substituiu Vicente Leporace (1912-1978) no programa O Trabuco, que foi trocado pelo Jornal Gente e ficou 35 anos no ar.

O clássico O Pulo do Gato, seu trabalho mais longevo, estreou em 1973 e figurou como um dos programas mais ouvidos do rádio brasileiro. “Com 57 anos de Rádio Bandeirantes, José Paulo de Andrade deixará um legado indiscutível, um vazio enorme e muitas saudades”, finaliza a emissora, em nota.

A família decidiu que não haverá velório e que a cerimônia de cremação está reservada aos amigos e familiares mais próximos. José Paulo de Andrade deixa mulher, dois filhos e uma neta.

Veja a homenagem da Rádio Bandeirantes a José Paulo de Andrade: