Anúncios

A última terça-feira (5) foi marcada pelo ‘Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos’ e, por este motivo, o Conselho de Farmácia divulgou dados do uso de diversos medicamentos. Um deles, no entanto, chama mais atenção: o aumento do uso da hidroxicloroquina sulfato, que em Mato Grosso chegou a 103,19% em relação ao mesmo período de 2019. No Brasil todo, a porcentagem de aumento no uso foi de 67,93%.

A hidroxicloroquina ganhou as redes sociais e sites de notícias quando alguns estudos precoces mostraram que ela poderia ser eficaz no tratamento contra o novo coronavírus (). Segundo estes estudos e a prática médica, o fármaco ajudaria a diminuir os dias de internação das vítimas.

Em março, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou o uso de cloroquina e hidroxicloroquina em casos graves de pacientes com o novo coronavírus (COVID-19), e o governo federal anunciou a compra de comprimidos e a distribuição para os estados.

A ‘cloroquina’ chegou a sumir das farmácias ao ser procurada por pessoas que acreditavam que ela poderia prevenir ou tratar sintomas iniciais. Com o ‘boom’, o governo restringiu a venda, que agora só pode ser realizada com prescrição médica. Mesmo assim, o resultado da procura está nos números do Conselho de Farmácia.

Em Mato Grosso, segundo os dados, foram vendidos 796 caixas do medicamento em janeiro de 2019. Os números não foram muito diferentes a cada mês, até a chegada de março de 2020: 763 em fevereiro de 2019, 914 em março de 2019; 871 em janeiro de 2020; 869 em fevereiro de 2020, e 3.285 em março de 2020. Não há dados sobre o mês de abril. No total dos três primeiros meses do ano, em 2019 foram vendidos 2.473, e em 2020, até agora, 5.025.

Os dados nacionais mostram que, nos três primeiros meses de 2019, foram 231.546 caixas do medicamento, contra 388.829 em 2020, um aumento de 69%. Mato Grosso está em quarto lugar na lista dos estados que mais registraram aumento, atrás apenas do Pará (116,97%), (107,47%) e Acre (104,06%).