Anúncios

A Usina Hidrelétrica de vai pegar R$ 1,8 milhão do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), para comprar e álcool em gel para as famílias de baixa renda de Sinop e região. O dinheiro faz parte de um subcrédito social, inserido no da UHE Sinop. A direção do empreendimento decidiu tomar o valor e aplica-lo agora, na prevenção e combate ao Covid-19.

As cestas básicas serão entregues para famílias em situação de vulnerabilidade social – gente que precisa o que comer. O álcool em gel, em embalagens de 500 ml, será produzido em parceria com a UFMT Sinop. Eles serão distribuídos para profissionais que estão na linha de frente do tratamento de doentes graves na saúde pública. Equipamentos hospitalares e materiais de proteção individual também estão sendo adquiridos pela usina.

O diretor-presidente da UHE Sinop, Ricardo Padilha, explica que este é o melhor momento para aplicação dos recursos nos projetos sociais. “Queremos contribuir com a alimentação e a higienização dessas famílias para que elas não passem dificuldades. Estamos atravessando um período difícil e o momento é de ”, repassou.

Ainda segundo Padilha, a Companhia vai continuar estudando as necessidades da região durante a . “Nós estamos atentos a novas possibilidades. Já existem diversas discussões com agentes externos para que possamos firmar novas parcerias com o município de Sinop e toda região de influência da Usina”, afirmou.

A tarefa de distribuição dos alimentos terá o auxílio dos gestores dos municípios de Sinop, Cláudia, Sorriso, Itaúba e Ipiranga do Norte, por meio das secretarias de assistência social. Parte das doações será destinada a Vem Ser Mais Solidário – MT, movida pelo governo do estado e a campanha PF-Solidária, movida pela Polícia Federal de Sinop.

Segundo o assessor jurídico da UHE Sinop, Celso Sales, o poder executivo possui um cadastro minucioso das famílias com necessidades de assistência. “As cestas estão em boas mãos. Os responsáveis trabalharão para que os alimentos cheguem até essas famílias. Eles conhecem bem a realidade da população,” reforçou.