Anúncios

O ex-jogador Juninho Pernambucano repudiou a agressão sofrida por Luiz da Silva, 25 anos, que pedia comida na rua em Sinop. O vídeo, que começou a circular nessa quinta-feira, viralizou e chocou a internet.

O agressor, Adonias Correia Santana, 43 anos, também conhecido como “Tiririca”, seria um empresário do ramo de madeireira de Tabaporã. Ele viu o rapaz pedindo comida na rua e, de dentro de um carro, deu um tapa no rosto do rapaz, que não teve reação. “Vai trabalhar, vagabundo”, disse. Antes, ele chegou a conversar sobre a crise e ofereceu uma nota de R$ 20 para a vítima. Toda a ação foi filmada pelo motorista do carro.

Por meio do Twitter, o ex-jogador disse que vai arcar com um tratamento em uma clínica especializada em dependência química. A vítima foi identificada por Juninho como Anderson. “Estamos enviando hoje, o Anderson, com seu consentimento, para uma clínica especializada em dependência química, onde ele ficará no mínimo três meses. A família do só falou coisas boas dele. E sabe que ele precisa de ajuda”, escreveu o jogador na rede social.

Em outro tuíte, o ex-jogador comentou a agressão. “Que coisa mais revoltante. O cidadão de bem brasileiro é o traficante de escravos moderno. A raiva que sinto é tão grande que chega a fazer mal. Se acharem essa pessoa que foi agredida, me coloco a disposição para ajudá-lo e muito”, disse.

De cabelo cortado e barba feita, Anderson agradeceu o apoio do ex-jogador.

 O caso

Na manhã do último dia 06, o morador de rua Anderson Luiz da Silva, de 25 anos, foi agredido por um empresário que, ao fingir ter a intensão de ajuda-lo, desferiu um tapa em seu rosto e o chamou de “vagabundo”.

O agressor foi identificado como Adonias Correia Santana, de 43 anos, que atua no ramo madeireiro em Tabaporã. Nas imagens, Santana pergunta para o morador de rua se ele estaria com fome e lhe oferece uma nota R$ 20.

O morador responde que não consegue comprar comida e não recebe ajuda porque quase não há ninguém nas ruas. O motorista do carro sugere que o empresário de uma nota de R$ 50. Santana, então, oferece a nota ao morador de rua e pede para que ele se aproxime. Em seguida, o empresário desfere tapa no rosto e grita “vai trabalhar, vagabundo!”. A vítima parece ficar sem reação. “Quer mais um?”, pergunta o agressor.

Nesta quinta-feira (09), o morador de rua foi à Delegacia da Polícia Judiciária Civil acompanhado de um advogado voluntário e registrou um Boletim de Ocorrência contra o empresário por lesão corporal, injúria e constrangimento.

Hildebrando José Paes dos Santos, empresário de que, supostamente dirigia o veículo e teria filmado a ação, também foi denunciado.

A agressão teve grande repercussão e causou revolta da população nas redes sociais.

O Saiba Tudo Mato Grosso (MT) é um site sem vínculos partidários, sem preconceitos ideológicos e não está a serviço de grupos econômicos. O nosso valor é a qualidade da informação.