Anúncios

O , por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), enfatiza que, até o momento, não houve a confirmação de casos da doença no estado. A gestão estadual, por meio da equipe de Vigilância Epidemiológica, atua no monitoramento constante das suspeitas e na transparente dos casos investigados.

Na condição de sintomas similares ao de uma gripe e contextos suspeitos, não é recomendada a ida a um hospital de alta complexidade. A porta de entrada desses pacientes deve ser pelas Unidades Básicas e de Pronto Atendimento, locais em que o quadro será avaliado por um médico, de forma a ser notificado ou não – a depender da avaliação clínica – à Vigilância Estadual.

É importante ressaltar que os casos suspeitos e confirmados que apresentarem grau leve ou moderado deverão ser tratados em isolamento domiciliar. A internação hospitalar nas unidades referenciadas só será recomendada em casos graves da Síndrome Respiratória.

O órgão estadual também enfatiza que é preciso estar atento aos sintomas e às circunstâncias que levam à suspeita de -19, considerando que o vírus manifesta sinais muito semelhantes ao da gripe comum. Nesta perspectiva, é válido destacar que, até o momento, dos 1.422 casos notificados no , 1.163 foram descartados pelo Ministério da Saúde.

Só serão considerados suspeitos os casos que incluírem uma das situações:

SITUAÇÃO 1 –  Febre, pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) e histórico de viagem para área com transmissão local, de acordo com a , nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas;

SITUAÇÃO 2 – Febre, pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) e histórico de contato próximo de caso suspeito ou confirmado para o coronavírus (COVID-19), nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

Na rede pública de saúde, o exame de detecção do COVID-19 é realizado após a notificação de caso suspeito. As amostras são encaminhadas para o Laboratório Central do Estado de Mato Grosso (Lacen-MT) e, após os resultados, enviadas a um dos laboratórios de referência nacional para a confirmação ou descarte do caso.

Pelas razões já colocadas, a SES aconselha prudência na ida aos hospitais – sobretudo àqueles que tratam da alta complexidade –, tendo em vista que esses locais concentram um número substancial de pessoas com fragilidades em saúde. Durante a passagem pelas unidades de atendimento à população, redobre a atenção com as seguintes recomendações:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes. Ficar em casa quando estiver doente;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

A Secretaria de Estado de Saúde atualiza diariamente o número de casos suspeitos em Mato Grosso por meio de Nota Informativa que é divulgada neste link a partir das 16h, após a coletiva do Ministério da Saúde.