Anúncios

No Mato Grosso, 31 municípios estão com alto risco de surto de . Os dados são do Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti, o LIRAa.

Cláudia é a localidade com maior incidência de infestação predial, no Mato Grosso, com mais de 16 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. Isso significa que a cada 16 moradores da cidade, um teve dengue, nas últimas quatro semanas.

Além disso, os munícipios de , Nova Guarita e , todos registraram incidência maior que 9 casos por 100 mil habitantes.

Ao todo, Mato Grosso notificou mais de 17 mil casos de dengue, em 2019, número que preocupa as autoridades em Saúde. O LIRAa serve como um importante mecanismo para o controle da doença nos municípios, como explica Ludmila Sophia de Souza, coordenadora de Vigilância e Saúde Ambiental da Superintendência de Saúde do estado.

“Trabalhamos diretamente voltados ao controle do mosquito, sempre assessorando, coordenando ação, capacitando o munícipio. E o que observamos, hoje? Temos um indicador que é o LIRAa, do qual o município faz o levantamento na sua cidade e nos informa como está.”
Em janeiro, o declarou que 12 estados brasileiros correm o risco de sofrer surto de dengue. Além de toda a região Nordeste, a população do , Espírito Santo e São Paulo, deve ficar atenta para o possível surto do sorotipo 2 da dengue.

O coordenador-geral de Vigilância em Arbovirose, do Ministério da Saúde, Rodrigo Said, pede que a população dos estados siga as orientações e entre no enfrentamento ao Aedes aegypti.

“Hoje, mais de 80% dos criadouros do mosquito são domiciliares. Então, a ação de controle é necessária, integrada de atividades do poder público, tanto do Ministério da Saúde, como das secretarias estaduais e municipais, de saúde, aliado as ações de mobilização da população.”