Peritos do Instituto de Criminalística (IC) e médicos legistas do Instituto de Medicina Legal (IML) concluíram que o professor Odailton Charles de Albuquerque Silva, de 50 anos, morreu vítima de envenenamento. Odailton dava aulas no Centro de Ensino Fundamental (CEF) 410 Norte, em Brasília. Segundo o documento, ele foi intoxicado por uma espécie de raticida.

Encaminhado ao Hospital Regional da Asa Norte (Hran) na quinta-feira (30/01/2020), o docente ficou na unidade de saúde até a última terça-feira (04/02/2020), quando morreu.

O site Metrópoles teve acesso com exclusividade ao prontuário médico do professor. O documento, emitido por médicos do Hran aponta intoxicação, provavelmente causada por algum organofosforado, substância presente em inseticidas e agrotóxicos.

O velório do docente ocorreu durante esta quinta-feira (06/02/2020), na Igreja Adventista de Águas Claras. Ele foi enterrado nesta tarde, no cemitério Campo da Esperança da Asa Sul.

Enquanto participava de uma reunião na escola onde foi diretor por seis anos, Odailton tomou um suco de uva. Poucos minutos depois, começou a passar mal.

Durante a crise, enviou áudios angustiantes a familiares e colegas, pedindo socorro e detalhando seu estado de saúde. O docente chegou a dizer nas gravações de WhatsApp que desconfiava de alguma substância estranha em sua bebida.

“Alguém me ajuda, alguém me ajuda. Eu cheguei aqui, tomei um suco e acho que colocaram laxante, estou com muita diarreia”, disse o educador.