Anúncios

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram membros da facção criminosa Comando Vermelho (CVMT) torturando uma moradora no Residencial Jonas Pinheiro III, em . A vítima, segundo os próprios criminosos, estaria tendo um relacionamento extraconjugal. Uma pessoa que aparece no vídeo diz que a ordem do ataque à mulher partiu da cadeia.

Em um dos vídeos, é possível ver três cortando e raspando o cabelo da vítima com uma tesoura. As imagens são feitas por um homem, que não foi identificado, aonde afirma que a ordem partiu da cadeia. Durante a ação criminosa, um dos criminosos chega a pegar uma roçadeira para amedrontar ainda mais a vítima.

“Só não é pra matar a mulher, gente. Já veio a lá de cima, da cadeia lá” disse o homem que grava.

A vítima pede para que as agressões sejam encerradas.

“Para com isso, gente. Não é assim que funciona as coisas não, pelo amor de Deus. Não é assim não, gente. Pelo amor de Deus. Não é assim, não é”, suplicou a vítima.

Logo depois, o autor do vídeo explica o motivo que a mulher está sendo torturada.

“A mulherada não aceita esse tipo de coisa aqui (se relacionar com homem casado). A gente mesmo não tem como fazer nada. É o trem. É o trem. Andar com homem casado é foda, gente. Eu não posso fazer nada”, diz o homem que grava a tortura.

Em outra gravação, o autor do vídeo disse que além da mulher, o homem também deverá ser “cobrado”.

“Aí oh para ficar de exemplo. Pé de pano e talarica. Pé de pano é sem pano aqui nas casinha (sic). Nunca mais ela vai querer pegar homem casado. Tem que cobrar do cara que estava com ela também”, concluiu.

Um fato que chama atenção é que, em determinado, momento a mulher que é espancada diz que vai chamar a polícia, porém, o homem que está gravando toda a situação diz: ‘Se ela for chamar a polícia para onde ela for vai ficar ruim. Não mexe com polícia aqui não’, fazendo referência ao C.V. que controla as regras no local.

Em outro vídeo, o homem começa gravando de longe: ‘Aí ó, para ficar de exemplo, pé de pano, talarica, pé de pano, aqui nas casinhas é sem pano’, e quando a câmera está bem  próxima é possível ver o cabelo da mulher cortado e esparramado pelo chão.

Na sequência, as agressoras pedem maquininha e ‘prestobarba’ para terminar de raspar o cabelo da mulher, que nesse momento está rendida no chão.

No final, a ‘vítima’ se levanta e diz algo, quando uma das mulheres questiona:

‘Você está me ameaçando?’, e a mulher de cabeça raspada, já dentro de casa, respondendo: ‘Não, não estou ameaçando você, só estou falando que não merecia isso. Você sabe das coisas para você fazer’.

O vídeo termina com a agressora chamando a mulher para fora: ‘vem para fora, vem’.

OCUPADO POR FACÇÃO

Construído por meio de convênio entre a prefeitura de Cuiabá e a , o Residencial Jonas Pinheiro III ainda não foi 100% entregue. Ele deve atender às famílias de baixa renda, cadastradas nos programas sociais do Governo Federal.

Apesar de não estar 100% entregue, a maioria das casas do local já estão sendo ocupadas por invasores. Segundo informações, diversos membros de facção criminosa estão no local.

Veja os vídeos: