Anúncios

A Superintendência de Penitenciária (Susepe) da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária do (DGAP) investiga a soltura indevida de um detento da Unidade Prisional Regional de Planaltina de Goiás, ocorrida no último dia 27.

O presidiário Jhonatan Wesley Lima Ferraz teria se passado por Bryan Sousa Silva, detento que seria liberado naquele dia. Usando as informações dele com os agentes penitenciários, foi solto no lugar do outro.

De acordo com o advogado de Bryan, o homem fora preso em flagrante em setembro de 2019, suspeito de roubar uma bicicleta. “Na audiência de custódia, o juiz determinou uma fiança de R$ 20 mil. Só que a família dele é extremamente carente e não tinha a menor condição de pagar. Então, entrei com pedido de dispensa da fiança”, contou Renato Ribeiro Brandão.

“No mês passado, o juiz deferiu o pedido e, no dia 27, a Justiça emitiu o alvará de soltura. Mas a família entrou em contato comigo dizendo que ele não foi solto”, completou.

Em vez de Bryan, acabou liberado Jhonatan Wesley, que estava preso por ter cometido um homicídio em março do ano passado. “Sexta-feira (31/01/2020), eu fui ao fórum e o processo dele continuava no mesmo lugar. Então, fui até o presídio e ele ainda estava lá”, relatou o defensor.

De acordo com Brandão, os agentes penitenciários teriam dito que Bryan ficou calado ao ser chamado e que, portanto, teve participação na soltura de Jhonatan.

“Eles liberam a pessoa errada e, agora, o Bryan que está sendo investigado por ter participado na soltura errada dessa outra pessoa. Ele foi preso em flagrante por ter supostamente participado e continua lá. Agora, entrei com um pedido de soltura novamente”, comentou.

O que diz a Susepe

Em nota, a Susepe ressaltou que as “autoridades competentes” foram informadas sobre o equívoco. Segundo a superintendência, “o fato está sendo apurado internamente para a aplicação das sanções aos responsáveis pelo ocorrido”.

Além disso, a polícia local pede ajuda da população para a recaptura de Jhonatan. Denúncias podem ser realizadas pelo 197 da Polícia Civil, pelo 190 da Polícia Militar ou pelo (62) 3201-1212 da Ouvidoria da Secretaria de do Goiás.