Uma brasileira de 39 anos foi detida na última sexta-feira, 7, em flagrante no Rio de Janeiro após simular estar com coronavírus para receber atendimento prioritário em uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) em Copacabana.

Segundo a polícia, Claudete Maria Rosa da Silva procurou a unidade médica dizendo que sofria os sintomas do novo coronavírus. Ela teria afirmado que havia retornado de Hong Kong, onde trabalhara como babá.

A equipe médica entrou em alerta, mobilizou diversos profissionais de saúde durante várias horas para atendê-la e acionou o Ministério da Saúde, conforme prevê o protocolo estabelecido pelas autoridades sanitárias para tentar conter o vírus. A paciente foi isolada e submetida a uma bateria de exames.

Familiares de Claudete revelaram aos médicos que a atendiam que ela nunca saiu do Brasil nem tem passaporte, e a polícia a deteve sob acusação de falsidade ideológica e por provocar alarme para perigo inexistente. Após a descoberta, de acordo com a polícia, ela admitiu que mentiu sobre a viagem para ter prioridade no atendimento.

No Brasil não há nenhum caso confirmado de coronavírus – todos os suspeitos foram descartadas pelo Ministério da Saúde.

Na China

O coronavírus infectou mais de 34.500 pessoas e matou 722 pacientes na China continental. Nenhum caso foi confirmado na América Latina. Cerca de trinta brasileiros que estavam em Wuhan – o centro da epidemia – deixaram a China na sexta-feira (7).

O que é o novo coronavírus?

É um vírus que tem causado doença respiratória pelo agente coronavírus, recentemente identificado na China. Os coronavírus são uma grande família viral, conhecidos desde meados de 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. Alguns coronavírus podem causar doenças graves com impacto importante em termos de saúde pública, como a Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave), identificada em 2002 e a Mers (Síndrome Respiratória do Oriente Médio), identificada em 2012.

Qual a forma de transmissão do vírus?

Ainda não está claro com que facilidade o novo coronavírus se espalha de pessoa para pessoa. As investigações estão em andamento, mas a disseminação do novo coronavírus está ocorrendo e pode ser de forma continuada. Alguns vírus são altamente contagiosos (como sarampo), enquanto outros são menos.

E de que animal ele vem? Uma vez que é identificado o animal reservatório, como é chamado o ser vivo onde um agente infeccioso vive e se multiplica, é muito mais fácil lidar com isso. Os casos têm sido associados ao mercado público de frutos do mar em Wuhan. Ainda que alguns mamíferos aquáticos possam portar o coronavírus, como a baleia-beluga, também são comercializados no mercado outras classes de animais selvagens vivos, o que inclui galinhas, morcegos, coelhos e cobras —e são apontados como fontes mais prováveis.

Quais são os sintomas do novo coronavírus?

Os sinais e sintomas clínicos são principalmente respiratórios, como:

  • Febre
  • Tosse
  • Dificuldade para respirar.

Existe alguma forma de prevenção?

Para redução do risco de adquirir ou transmitir doenças respiratórias, especialmente as de grande infectividade, orienta-se que sejam adotadas medidas gerais de prevenção, como realizar frequente higienização das mãos, principalmente antes de consumir alimentos, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir, evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca. Além disso, não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas, manter os ambientes bem ventilados, evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença.

O Saiba Tudo Mato Grosso (MT) é um site sem vínculos partidários, sem preconceitos ideológicos e não está a serviço de grupos econômicos. O nosso valor é a qualidade da informação.