Anúncios

Um adolescente de 13 anos, foi encontrado morto por enforcamento mecânico, dentro da marcenaria do pai no início da tarde da última quinta-feira (23) no bairro Jardim Popular, em (310 km de Cuiabá).

O corpo foi encontrado pelo pai do garoto por volta das 13h, dentro da oficina, que fica no quintal da casa da família.

De acordo com informações o adolescente e o irmão estavam brigando na hora do almoço por causa de um celular. Tanto ele (o pai) quanto a mãe chamaram a atenção do garoto e mandaram que ele fosse para a oficina, já que tinha acabado de almoçar.

Cerca de meia hora depois, ao terminar de comer, o pai foi à marcenaria, momento em que estranhou as portas fechadas.

Chamou o filho, mas ninguém respondeu, então ele entrou, percebeu a porta do banheiro trancada, bateu e chamou pelo menor novamente, mas não teve resposta. Ao olhar para o lado encontrou o filho esganado por uma corda presa ao teto.

O pai explicou ainda que nesse momento ficou desesperado, procurando uma ferramenta para soltar o menino, então achou uma ‘segueta’ (serrinha) e cortou a corda.

Tentou fazer respiração boca a boca para reanimar o filho, mas não conseguiu.

Vizinhos chamaram a Polícia Militar (PM) para atender a ocorrência.

A Perícia Oficial e Identificação Técnica () foi acionada e peritos compareceram ao endereço para analisar o local onde o corpo foi encontrado e colher informações técnicas.

Em seguida, o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para exame de necropsia e confirmação da causa da morte.

A , responsável pela investigação da ocorrência, acompanhou todo o trabalho da perícia, ouviu preliminarmente os pais do adolescente, e aguarda o laudo que será emitido nos próximos dias para confirmação das circunstâncias do caso.

Saiba Tudo Mato Grosso tem a política de publicar informações sobre casos de suicídio ou tentativas que ocorrem em locais públicos ou causam mobilização social. Isso porque é um tema debatido com muito cuidado pelas pessoas em geral.

A (OMS) recomenda que assuntos relacionados a suicídio não venham a público com frequência, para que o ato não seja estimulado. O silêncio, porém, camufla outro problema: a falta de conhecimento sobre o que, de fato, leva essas pessoas a se matarem.

Depressão, esquizofrenia e o uso de drogas ilícitas são os principais males identificados pelos médicos em um potencial suicida. Problemas que poderiam ser tratados e evitados em 90% dos casos, segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria.

O CVV (Centro de Valorização da Vida) realiza apoio emocional e prevenção ao suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, email, chat e Skype 24 horas todos os dias.