Um fazendeiro, identificado como Inácio Eurico Vogt, de 67 anos, foi encontrado morto dentro de um carro na noite da última terça-feira (29), na BR–364, entre os municípios de Campos de Júlio e Comodoro (520 km e 656 km de Cuiabá, respectivamente). A vítima estava com as mãos amarradas no banco de trás do veículo. A suspeita é que ela tenha sido vítima de um latrocínio.

A vítima morava em Sapezal (500 km de Cuiabá). Ele saiu de casa por volta das 18h e desde então a família não teve mais notícias.

Conforme informações do boletim de ocorrência, a Polícia Militar (PM) recebeu uma denúncia, via Ciosp, de dois homens com comportamento estranho em um posto de combustível, por volta das 21h.

A dupla comprou um galão de 20 litros de gasolina para abastecer um carro que, supostamente, estava parado na estrada.

Diante disso, os militares se dirigiram a rodovia e deram um sinal de parada para os bandidos, momento em que eles e fugiram em alta velocidade.

A guarnição perseguiu a dupla e coordenou um bloqueio policial com outra equipe.

Ao perceberem a barreira na pista, os criminosos abandonaram o veículo e fugiram por uma região de mata.

Os policiais foram até o carro e se depararam com um homem desacordado no banco de trás do automóvel. A vítima estava ensanguentada e com as mãos amarradas. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada e constatou o óbito do fazendeiro. A suspeita é de que o homem tenha sido morto enforcado. Porém o exame de necropsia deverá confirmar a causa da morte.

Conforme apurou os militares, os assassinos são da Capital e um deles já foi identificado.

A Polícia Civil investiga o caso.

Nota de pesar

A Câmara Municipal de Sapezal emitiu uma nota de pesar, na manhã desta quarta-feira (29), em que lamentou o falecimento de Inácio, mais conhecido como “Sr.Érico”.

“Neste momento de dor, nos solidarizamos com seus familiares ratificando nosso voto de pesar pela grande perda”, diz trecho da nota.

O Saiba Tudo Mato Grosso (MT) é um site sem vínculos partidários, sem preconceitos ideológicos e não está a serviço de grupos econômicos. O nosso valor é a qualidade da informação.