Anúncios

Aldirene da Silva Santana, de 26 anos, acusada de matar a amiga Fernanda Souza, com uma facada no peito, vai ser julgada pelo tribunal do júri em Rondonópolis (215 km de Cuiabá). A decisão é do juiz Wagner Plaza, que ainda vai definir a data em que ela será julgada.

Fernanda Souza, de 22 anos, foi assassinada no dia 26 de fevereiro, com uma facada desferida no coração por Aldirene, no Paulista em Rondonópolis (215 km de Cuiabá).

Conforme a denúncia feita pelo Estadual (MPE), Aldirene e Fernanda eram amigas. Aldirene teria falado para o namorado de Fernanda que ela se relacionava com outros homens. O boato espalhado pela ré, segundo o MPE, se deu porque a vítima estava se relacionando com o ex-namorado dela.

No dia do crime, Fernanda e o então namorado resolveram terminar a relação, mas a vítima foi até a casa de Aldirene para tirar satisfações sobre o boato. Após uma discussão, Aldirene teria pego uma faca e deu um golpe no peito da vítima, que morreu devido às lesões no pulmão e coração.

Uma testemunha que foi com Fernanda até o local contou à polícia que quando chegaram na casa de Aldirene, a suspeita já estava armada com uma faca e permaneceu armada durante a conversa. Entretanto, em determinado momento, elas começaram a discutir, até que a suspeita desferiu um golpe no peito de Fernanda.

A testemunha afirmou que tentou evitar o ataque e segurou a suspeita pelos pulsos. Aldirene jogou a faca no banheiro e tentou fugir no dela. Porém, vizinhos viram a situação e trancaram o portão da quitinete, impedindo que ela saísse do local.

Aldirene chegou a ser presa, mas foi solta por determinação judicial dois meses após o crime.

Rondonópolis: Acusada de matar amiga é solta após decisão da Justiça

Rondonópolis: Justiça aceita acusação e mulher que matou amiga vira ré

Rondonópolis: Suspeita de matar amiga passa por audiência de custódia e vai permanecer na prisão

Rondonópolis: Após discussão, mulher mata amiga com facada no coração

O Saiba Tudo Mato Grosso (MT) é um site sem vínculos partidários, sem preconceitos ideológicos e não está a serviço de grupos econômicos. O nosso valor é a qualidade da informação.