Anúncios

Uma aluna de 10 anos venceu um concurso de do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens (Inpev), por meio do Programa de Educação Ambiental (PEA). Ao todo, a redação de Sabrina Cordeiro, que mora em em Tangará da Serra (242 km de ), sobre conscientização ambiental concorreu com outras 240 mil redações de 22 estados brasileiros.

A redação de Sabrina ficou entre as três melhores do Brasil e, além do título, ela ganhou um notebook e uma -compras de R$ 300 em uma loja da cidade.

A estudante contou que a redação sobre como contribuir para cuidar dos resíduos sólidos, depois que teve uma ideia de unir os alunos da escola para limpar o pátio e promover educação ambiental.

“Me esforcei bastante. Quando vieram os obstáculos, desde o início, precisei ter paciência. Foi uma grande felicidade ganhar esse prêmio. Fiquei feliz e surpresa quando soube do resultado”, ressaltou.

TVCA/Reprodução

O colégio também ganhou um prêmio com a campanha.

“A organização faz a diferença. Em uma manhã ensolarada fui para a escola. Na hora do recreio, observei bem o pátio e o refeitório. Percebi que estava uma sujeira imensa, papel de bala, caixinha de suco, tudo espalhado pelo chão”, diz trecho da redação.

O incentivo para o talento e dedicação de Sabrina vem da família. A mãe dela, Priscila Cordeiro, que é , afirmou que faz de tudo para a filha se destacar na escola e garantir um futuro promissor.

“Acompanho a vida escolar dela desde pequena. Acompanho as tarefas, provas. É emocionante. Fico muito orgulhosa, pois a gente a preparou para que ela chegasse até aqui”, ressaltou.

Aluna é incentivada pela mãe — : TVCA/Reprodução

Sabrina também é motivo de orgulho para os professores. “É uma menina muito inteligente.

Quando a família participa do ensino, acontece isso, então não tivemos tanto trabalho. É uma menina que mais me ensina do que eu ensino ela. É um prazer tê-la todos os dias aqui”, declarou a professora Kátia Adriana.

Além disso, os alunos da turma afirmam que Sabrina é solidária e uma inspiração para todos.

“Isso inventiva outros alunos. Ela ajuda a todos e já me ajudou muito quando tive dificuldades. Agora já estou em outro nível por causa dela”, ressaltou a aluna Lara Ludwig, de 10 anos.

Para o futuro, Sabrina espera concluir os estudos e construir uma carreira profissional. “Quando eu crescer quero ser uma astrônoma e trabalhar na Nasa, pois gosto muito dessa área”, afirmou.