Anúncios

Apontada como suspeita na morte do pastor  por um terceiro filho, que depôs nesta quinta-feira, 20, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) não deve se pronunciar nesta sexta, 21, segundo sua assessoria.

A delegada Barbara Lomba, da DHNSGI (Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo), em coletiva nesta sexta, não confirmou o teor desse depoimento.

“O que temos de oficial para anunciar neste momento é que a arma do crime foi encontrada na casa da família, assim como os estojos de bala, e que Flávio [dos Santos Rodrigues, 38 anos, filho biológico de Flordelis e enteado de Souza] confessou o crime.”

Segundo reportagens do jornal O e da Record, um dos filhos de Flordelis, que não teve a identidade ainda revelada, prestou depoimento e disse desconfiar de uma possível participação da mãe e de três irmãs -além dos dois irmãos presos-, na morte do pastor, no último domingo, 16.

Dos dois detidos na última segunda, 17, um era enteado da vítima e filho biológico da deputada federal e é apontado como responsável por ter disparado contra o pastor. O outro, filho adotivo do casal, é suspeito de ter adquirido a pistola usada no crime.

A Justiça do aceitou o pedido da Polícia Civil e determinou a prisão temporária de ambos nesta quinta, 20. O pedido foi feito ao Judiciário após os investigadores realizarem uma acareação entre Flávio e Lucas.

Lomba também não confirmou depoimentos que citavam suspeitas de traição ou dívida em . Os celulares da vítima e do assassino confesso ainda não foram encontrados pela polícia.

“O celular da vítima não foi encontrado até o momento. Sabemos que podem haver informações importantíssimas nesse aparelho, até para a solução do crime.”,

Para a delegada, ainda não foi esclarecido como aconteceu a execução e o que motivou o crime. “São muitas motivações possíveis, pode ser mais de uma. E não está comprovada a relação extraconjugal.”

Lomba não descartou a possibilidade de intimar Flordelis para prestar depoimento, ainda que não tenha citado de forma direta o nome da parlamentar.

“Queremos esgotar todos os depoimentos das pessoas que estavam no local do crime. Inclusive, algumas que já prestaram depoimento poderão ser ouvidas outra vez”.

Os laudos que vão apurar se os cachorros da casa foram dopados e quais eram os documentos queimados encontrados atrás da casa ainda não foram concluídos. A polícia também pericia objetos encontrados no interior da casa.

Souza e Flordelis voltavam de uma confraternização, segundo a deputada contou à polícia e confirmado pelas imagens das câmaras da casa.

Depois que chegaram, o marido voltou à garagem porque teria esquecido algo dentro do carro. Nesse momento, a família ouviu o som dos disparos e desceu correndo. Souza chegou a ser levado ao Hospital Niterói D’Or, na região metropolitana do Rio, onde morreu. Nada foi roubado.

O casal tinha 55 filhos, sendo 51 adotivos e quatro biológicos.