Anúncios

Dois fiscais da Vigilância Sanitária identificados como Nélio Flores de Freitas e Erick William Pinto, foram presos em flagrante após exigir dinheiro de um empresário para emitir um alvará de liberação de uma peixaria, no bairro Jardim Aeroporto, em Várzea Grande. As informações são de que a equipe da Polícia Civil, da Delegacia Especializada de Roubo e Furtos (DERF) foi acionada com relatos de que fiscais da Vigilância Sanitária iria extorquir um dono de uma peixaria e exigiria uma quantia de R$ 4 mil para emitir o alvará de funcionamento.

Reprodução / PJC

Diante da denúncia, os investigadores localizaram o fiscal Nélio Flores de Freitas dentro do estabelecimento dizendo que “o combinado pra deixar isso aqui aberto era quatro mil e você vem com dois mil?”. O empresário relatou que fiscal exigia dinheiro para não interditar o estabelecimento.

Os policiais encontraram um envelope no balcão com a quantia de R$ 2 mil, sendo relatado. A vítima relatou que “não aguentava mais a pressão dos fiscais que lhe extorquiam há dias”.

O empresário ainda relatou que os fiscais passavam em seu estabelecimento para lhe exigir dinheiro, mas que também pegavam produtos. Consta ainda na denúncia dia 17 de maio o estabelecimento foi interditado pelos fiscais impondo uma multa de R$ 12 mil. No entanto, na data de 22 de maio ao se deslocar até a Vigilância Sanitária, onde o superintendente Erick William Pinto e o chefe de fiscalização “prometeram” reabrir o estabelecimento caso lhe pagasse propina.

Diante do flagrante, os fiscais foram presos e levados para Delegacia de polícia da . Um terceiro fiscal identificado como Lucio Cunha de Moraes também foi apontado envolvido no esquema, estaria em Santa Catarina. O caso é investigado pelo Delegado Guilherme de Carvalho Bertoli.

AFASTADOS

Por meio de nota, a prefeitura de Várzea Grande informou que os servidores foram afastados e responderão a um Processo Administrativo Disciplinar (PAD).

Íntegra da nota:

A Secretaria de Comunicação Social de Várzea Grande em decorrência de fatos envolvendo servidores do Poder Executivo Municipal esclarece:

* Três servidores da Pública estão sendo acusados da prática de crime de concussão, inclusive com prisão em flagrante delito.

* A Procuradoria Geral de Várzea Grande e o Jurídico da Municipal tomaram do ocorrido na noite da última segunda-feira, 27 de maio, e estão sendo cientificados dos fatos para eventuais providências e correção dos prejuízos as vítimas.

* Como existe ocupante de cargo comissionado, os mesmos serão demitidos e afastados de suas funções durante as apurações.

* Como se trata de crime, foi determinada pela Secretaria de Saúde, a instauração do devido PAD – Processo Administrativo Disciplinar, no caso de servidores concursados ou estáveis que seguirá no mesmo ritmo das investigações realizadas pela Polícia Judiciária Civil de , resguardando o direito a ampla defesa e ao contraditório de todas as partes envolvidas.

As Secretarias de Comunicação Social, de Saúde, da Controladoria Geral e da Procuradoria Geral, todas de Várzea Grande reafirmam o compromisso da atual gestão com as investigações e possíveis punições, rejeitando qualquer tipo de ação, venha ela de onde vier, contra Várzea Grande e sua população e defende as apurações rigorosas.

O Saiba Tudo Mato Grosso (MT) é um site sem vínculos partidários, sem preconceitos ideológicos e não está a serviço de grupos econômicos. O nosso valor é a qualidade da informação.