Anúncios

Acusada de ter assassinado a jovem Fernanda Souza Silva, de 22 anos, com um golpe de faca na tarde do dia 26 de fevereiro, no Jardim Paulista, em Rondonópolis (215 km de Cuiabá), Aldirene Santana, de 26 anos, que estava presa na Cadeia Feminina por força de um mandado de prisão preventiva, foi colocada em liberdade na última quarta-feira (2/5), após uma decisão colegiada do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. A defesa da acusada alegou que a prisão de Aldirene foi ilegal. Agora ela vai aguardar o julgamento em liberdade.

Reprodução/

Até então, Aldirene era uma das melhores amigas da vítima. Ela foi presa em flagrante pela Polícia Militar (PM) e depois teve a prisão preventiva decretada pela Justiça. Conforme as informações do dia do crime, as amigas estavam se desentendendo, já que supostamente Aldirene teria espalhado na cidade alguns boatos sobre a vítima. Fernanda teria ido então até a casa da acusada para tirar satisfações, na companhia de uma outra amiga, de 34 anos.

Já, na delegacia, a suspeita, que é ré primária, disse que Fernanda teria jogado o celular dela no chão durante essa briga e a agredido em seguida, e que “não se lembra” do que aconteceu depois disso. Ela disse ainda que pediu para que as mulheres fossem embora e que conversaria com elas em outro momento, porém Fernanda teria continuado com as ofensas.

Porém, a testemunha contou na ocasião que elas foram recebidas pela suspeita com uma faca na mão e que ela permaneceu armada durante toda a conversa, até que as duas se exaltaram durante a discussão e Fernanda foi golpeada na região do coração, morrendo em questão de minutos. A testemunha ainda relatou à polícia que segurou Aldirene para que a mesma não efetuasse mais nenhum golpe.

Os vizinhos também perceberam a situação e trancaram o portão da quitinete, impedindo que ela saísse do local. O Samu e a PM foram acionados em seguida.