Anúncios

O vazamento de um vídeo com cenas de grupal (popularmente conhecido como “suruba”), entre quatro homens supostamente moradores de Rondonópolis (215 km de Cuiabá), virou um dos assuntos mais comentados do país no , na manhã desta segunda-feira (25).

Por volta do meio-dia, quase 6 mil pessoas já haviam comentado o assunto, colocando-o como terceiro na lista dos chamados “trending topics”.

Segundo relatos, o vídeo vazou no último final de semana, e seus protagonistas seriam simpatizantes do e defensores de valores ultraconservadores – e até homofóbicos.

Um trecho do vídeo mostra três homens em uma cama, num ambiente escuro, com uma luz azul, praticando sexo. Uma foto mostra, também, os quatro homens em frente a um espelho.

“Vocês têm noção de que vazou imagens de uma suruba gay entre bolsominions “heteros”, preconceituosos e enrustidos na véspera de uma segunda-feira? Parem e pensem desde quando a gente não tem uma notícia boa em plena segunda-feira para rir pacas??? Obrigado, Rondonópolis!!!”, escreveu um dos internautas na rede.

“Eu preciso desse vídeo e nem sei onde fica esse lugar”, relatou outro.

Centenas de usuários do Twitter pediram cópias dos vídeos ou fotos. “Do nada Rondonópolis está nos assuntos mais comentados por conta de uma suruba. Gente, cadê as fotos?”, perguntou um deles.

A polêmica também se voltou a temas sobre sexualidade. “E nisso dos héteros de Rondonopólis, eles não me surpreendem nem um pouco. Quem tem que ficar gritando ou confirmando a masculinidade só mostra o quanto ela é frágil”, disse outra.

Apesar de as redes sociais estarem divulgando nomes dos envolvidos e o perfil de suas redes sociais, a reportagem considerou melhor, por uma questão ética, não divulgar a identidade dos envolvidos, assim como seus rostos.