Anúncios

Há mais de 20 dias internado na UPA 24 horas de Rondonópolis (215 km de Cuiabá), a família de Pedro Ferreira dos Santos, de 74 anos, sofre sem saber quando o idoso passará por uma cirurgia. Com diagnóstico de aneurisma de aorta abdominal, que é uma dilatação na parte da aorta que passa pelo abdômen, os familiares não conseguiram que o homem fosse encaminhado para a cirurgia nem mesmo com uma determinação judicial em mãos. Enquanto isso, o idoso segue internado na UPA, que tem a função apenas de dar atendimento inicial de urgência e emergência, recebendo medicação para as dores e aguardando que o cumpra a decisão da Justiça, que é do dia 23 de dezembro.

A filha de Pedro, Luzinete Aparecida Cirino dos Santos Lins, conta que o pai deu entrada na UPA no dia 17 de dezembro. “Desde então estamos correndo atrás, mesmo com recesso dos órgãos da Justiça, laboratório fechado e tantas outras coisas, nós conseguimos reunir a documentação para solicitar que o Estado fizesse a cirurgia. O juiz deferiu mas até o momento nenhuma medida foi tomada”, explicou a filha, que tem acompanhado o pai desde então na UPA, completando hoje 21 dias de internação. “Eu deixei meus filhos de lado, vou acabar perdendo o emprego, tudo isso para acompanhar meu pai. Mas o Estado não o encaminha para a cirurgia, talvez por acreditar que ele seja velho e o alto não compense”, desabafou.

Homem está na UPA 24 horas desde o dia 17 de dezembro – Foto: Divulgação

Os laudos apontam que para a realização da cirurgia de forma particular, incluindo as despesas com e internação hospital, os valores cheguem a quase R$ 200 mil, que a família não dispõe. “Tenho sido amparada e meu pai está sendo muito bem assistido aqui na UPA, não tenho nenhuma reclamação quanto a isso. Mas ele não pode ficar aqui para sempre. Se eu consegui reunir toda a documentação para que Justiça faça o bloqueio das contas do Estado, por que não fazem?”, disse Luzinete.

Até o fechamento da edição, a Defensoria Pública estava em contato com a filha do idoso, buscando o cumprimento da ordem judicial.