Anúncios

Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgados na  última quarta-feira (19), o aumento nos preços da batata e do tomate vão deixar a ceia de Natal um pouco mais caras este ano. O preço da batata teve uma elevação de mais de 30% na região Centro-Oeste.

De acordo com os feirantes da Central de Abastecimento de Cuiabá (Ceasa), até o final de novembro os preços se mantiveram estáveis, porém sofreram aumento a partir da segunda semana de dezembro.

Isso porque o valor dos produtos aumentou 32,2% em Goiânia, que é uma das origens da batata comercializada em Cuiabá, por exemplo.

Na Ceasa, a caixa com 20 quilos de tomate é vendida por R$ 100, enquanto que o saco da batata, com 50 quilos custa R$ 120.

De acordo com a Conab, a elevação ocorreu em todo o país. Em Vitória (ES), por exemplo, a elevação foi de 38,6%. No Rio de Janeiro, 31,1%, em Belo Horizonte 26,3% e em São Paulo 25,3%.

Na Feria do Porto, em Cuiabá, o quilo do tomate custa em média R$ 7,90. Já o quilo do batata varia entre R$ 3,20 e R$ 4,30.

O feirante Vandir Lopes explica que enquanto o preço dos produtos aumenta, o movimento de consumidores cai. Ele avalia que a circulação de pessoas na feira caiu cerca de 40% se comparado ao mesmo período do ano passado.

“Estamos num tempo difícil. Para esta época do ano, o movimento caiu muito”, disse ele.

A mesma avaliação é feita pela atacadista Cristiane Anaia, ano passado precisou contratar funcionários temporários para atender os clientes. Este ano, mesmo com dois trabalhadores a menos, ela tem conseguido atender todos os compradores.

“Estamos na expectativa de que até o dia 24 o movimento seja melhor, mas até o momento está bem abaixo do que era previsto para dezembro”, afirmou ela.

Cebola

A cebola tamém apresentou aumento, sendo que o maior percentual de elevação ocorreu em Recife (86,5%), seguido de Goiânia (78%), Belo Horizonte e Vitória, na casa dos 57%, e Rio de Janeiro, próximo a 43%, e São Paulo, 39%.

Frutas

Já com relação às frutas, houve redução de preços da banana e do mamão. A menor cotação para banana foi em Goiânia (16,8%), seguida de Fortaleza (10%). O mamão ficou mais em conta em Goiânia (25,2%).