Anúncios

O só não fechou as portas ontem (12), por falta de insumos e material hospitalar, porque o prefeito (SD) liberou R$ 400 mil das receitas municipais para a compra de medicamentos e insumos. Com isso, o HR vai ter condições de dar continuidade ao atendimento de média e alta complexidade, que é de responsabilidade do governo estadual, que estaria com débito acumulado de R$ 15 milhões com a unidade.

O prefeito Zé Carlos do Pátio e a secretária de Saúde do Município, Izalba Albuquerque, acompanhados de uma comissão de vereadores, anunciaram que vão fazer o possível para evitar qualquer de atividade ou até mesmo o fechamento do Hospital Regional.

Apesar da administração do HR ser de responsabilidade do Estado, que contratou uma Organização Social de Saúde (OSS), Instituto Gerir, o prefeito afirmou que poderá realizar uma compra emergencial de materiais, medicamentos e insumos, inclusive para realização de exames clínicos, para atender a demanda dos pacientes e manter o atendimento regular. O prefeito disse ainda que, caso o problema não seja solucionado, vai continuar lutando pela intervenção do Gerir.

“O município já vem ajudando. Tudo que eles [HR] estão precisando a gente está viabilizando por meio de empréstimo de materiais, medicamentos, insumos. Agora, pedimos um levantamento para que seja contemplado na compra que o município pretende fazer para a saúde, os materiais para o HR”, explicou a secretária Izalba Albuquerque.