Anúncios

O prefeito de Pedra Preta, Juvenal Pereira Brito, o Ná (MDB), está sendo acusado por vereadores e pelo Ministério Público da cidade de ter adquirido mata-burros sem licitação, o que pode configurar ato de improbidade administrativa, e de ter agido para encobrir as provas de suas ações, o que configura o crime de fraude processual. Por conta das irregularidades – de acordo com os parlamentares -, o prefeito da cidade pode ser afastado do cargo pela Justiça e até responder na esfera judicial pelos supostos crimes.

Caminhão com a carga encontra-se recolhido no pátio da PM – Foto: Divulgação

De acordo com o vereador Hélio de Farias (PSDB), o prefeito teria adquirido vinte mata-burros de uma empresa de Goiânia (GO), que seriam usados nas estradas do município na zona rural, mas não teria atentado para o devido processo legal. “O prefeito comprou os mata-burros sem licitação, que foram entregues no pátio de da prefeitura. A princípio, quando descobrimos o caso, ele tentou negar e disse que estaria apenas guardando os mesmos para uma empresa, mas depois voltou atrás e disse que iria aderir a uma ata de compra de outro município. Mas assim que nós vereadores conseguimos uma cópia da Nota Fiscal de compra dos mata-burros no nome da nossa prefeitura, ele tentou se desfazer deles, vendendo abaixo do preço para um construtor de pontes de Rondonópolis”, informou.

Ao chegar próximo a Rondonópolis, a carga despencou do caminhão à beira da rodovia – Foto: Divulgação

A suposta tentativa de se desfazer das provas do possível crime só foi descoberta na tarde ontem (31), após os mata-burros caírem do caminhão que os transportava, já chegando em Rondonópolis, na região do Córrego Lourencinho. “Na pressa de sumir com os mata-burros do pátio da prefeitura, acabaram não amarrando eles na carroceria do caminhão e eles acabaram caindo. Nós, acompanhados do Ministério Público, estivemos no local e decidimos fazer um Boletim de Ocorrência na polícia e esperamos agora que a Justiça faça o seu trabalho e determine o imediato afastamento dele do cargo, pois o que o prefeito fez é muito grave”, emendou o vereador.

O caminhão e os mata-burros tiveram que retornar para Pedra Preta, sob forte vigilância policial e além de correr o risco de ser afastado do cargo pela Justiça, o prefeito Ná ainda pode ter o seu mandato cassado pelos vereadores, que debaterão o assunto na próxima segunda-feira (5), quando haverá uma Sessão da Câmara do município.

“Eu creio que agora, ao saber de mais essa atitude do prefeito, a maioria dos vereadores defende que o prefeito seja afastado e até cassado, pois a denúncia contra ele é muito forte e quem não atender o clamor da população por justiça estará se queimando com essa população e não se reelege nunca mais, pois estará se afastando da ética e da moralidade”, concluiu.

“Eu creio que agora, ao saber de mais essa atitude do prefeito, a maioria dos vereadores defende que o prefeito seja afastado e até cassado”, defendeu o vereador Hélio de Farias – Foto: Divulgação

O caminhão em questão foi apreendido junto com todos os mata-burros até que os fatos sejam esclarecidos e, já na delegacia, segundo informações, o motorista do caminhão teria testemunhado que tanto o vice-prefeito Luiz Cândido Rodrigues Pereira, o Candinho, quanto o secretário de Iremá Borges de Souza, teriam conhecimento dos fatos envolvendo a compra sem licitação dos mata-burros e da tentativa de ocultar o suposto crime com a venda abaixo do preço dos materiais.

Os vinte mata-burros foram adquiridos de uma empresa de e custaram R$ 58,8 mil.

OUTRO LADO

A reportagem tentou entrar em contato com o prefeito Juvenal Pereira Brito para ouvir sua versão dos fatos, mas não obtivemos sucesso.