Anúncios

Os vereadores de Pedra Petra, a 243 km de abriram uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), nesta segunda-feira (5) para investigar atos de improbidade administrativa que teriam sido cometidos pelo prefeito Juvenal Pereira Brito, o Ná (MDB). De acordo com uma denúncia feita à Câmara, a prefeitura teria adquirido “mata-burros”, no valor aproximado de R$ 59 mil, sem processo licitatório.

A carreta que transportava as estruturas de ferros está detida na delegacia do município.

O caminhão com os mata-buros, supostamente comprados sem licitação, foi recolhido semana passada ao pátio da PM – Foto: Arquivo

O afastamento do prefeito por 90 dias, tempo que deve durar as investigações da Comissão, chegou a ser votado. Dos 11 vereadores, eram necessários os votos de oito, mas apenas sete votaram a favor do afastamento e os demais contra. Por isso, o prefeito continua no cargo.

Por conta das irregularidades – de acordo com os parlamentares -, o prefeito da cidade pode ser cassado e até responder na esfera judicial pelos supostos crimes. De acordo com o vereador Hélio de Farias (PSDB), o prefeito teria adquirido vinte mata-burros de uma empresa de Goiânia (GO), que seriam usados nas estradas do município na zona rural, mas não teria atentado para o devido processo legal.

“O prefeito comprou os mata-burros sem licitação, que foram entregues no pátio de da prefeitura. A princípio, quando descobrimos o caso, ele tentou negar e disse que estaria apenas guardando os mesmos para uma empresa, mas depois voltou atrás e disse que iria aderir a uma ata de compra de outro município. Mas assim que nós vereadores conseguimos uma cópia da Nota Fiscal de compra dos mata-burros no nome da nossa prefeitura, ele tentou se desfazer deles, vendendo abaixo do preço para um construtor de pontes de Rondonópolis”, informou.

OUTRO LADO

Para o prefeito Ná, as denúncias são fruto de armações políticas. “Para sustentar essa denúncia, eles teriam que apresentar a nota fiscal paga da carga. Isso não ocorreu. Tenho os memorandos que comprovam o nosso interesse em aderir uma ata de preços para a compra dos mata-burros. Agora, a carga que estava no terreno próximo ao ginásio de esportes é de um empresário que está fazendo entrega do material para vários municípios da região. Eles usaram o local por alguns dias até a data da entrega em um município vizinho. A Prefeitura não adquiriu este tipo de material. A nota que eles apresentaram na denúncia não passou na Prefeitura”, defendeu o prefeito.

De acordo com Ná, ele tem vários rivais políticos que podem estar simulando a denúncia. “Seria injusto acusar uma pessoa ou outra, mas na política somos cercados de inimigos”, externou.