Anúncios

 

Uma mulher de 36 anos identificada como V.M.R, foi detida no último domingo (25), em Confresa (1.160 km de Cuiabá), depois de esconder um feto dentro de um freezer na casa dela após um aborto.  De acordo com o boletim de ocorrência, a mulher foi até a delegacia da cidade denunciar que havia sofrido agressão do ex-companheiro quando uma pessoa ligou na unidade policial informando sobre a existência do feto e o ‘esconderijo’ usado. O feto seria usado para que material genético fosse recolhido.

Assim que souberam da denúncia policiais civis e militares acompanharam  V.M.R  até a residência. Ao chegar na casa, a mulher correu e rapidamente retirou o feto do freezer e o escondeu dentro da calcinha.

Em depoimento, V.M.R declarou ter sido vítima de aborto espontâneo e que chegou a ser atendida em unidade hospitalar. Declarou que ficou com medo de ser presa e por isso introduziu o feto nas partes intimas.

De acordo com o delegado Andre Rigonato o hospital confirmou que a mulher passou por atendimento na sexta (23), no entanto, não detalhou o tipo de assistência. Foi aberto na unidade um procedimento administrativo para verificar se a paciente chegou a abortar de fato no local, e em caso positivo, a pergunta é como a mulher teria conseguido sair do hospital com o feto.

A requisitou perícias em V.M.R para exame de corpo de delito, de modo a apontar procedimentos invasivos para retirada do feto, e ainda exame toxicológico para investigar se a mulher ingeriu medicação provocando o aborto. Os laudos serão emitidos pela Politec.

A também investiga a acusação de agressão e injúria que V.M.R afirma ter sido vítima na tarde de domingo (25), no momento em que o suspeito teria trazido o filho que possuí com ela após passar o final de semana com o pai.

V.M.R teria declarado que não tinha como ficar com a criança porque no dia seguinte precisaria voltar ao hospital em decorrência do aborto sofrido, o que teria motivado o início do desentendimento entre ela, o ex-companheiro e a atual esposa do suspeito.