Anúncios

Falsas informações que circularam nas redes sociais motivaram a corrida pelo ouro em Aripuanã ( 976 km de ).

Ao contrário das imagens, textos e áudios que circularam entre os garimpeiros, a área que foi invadida não possui vocação para exploração na superfície, uma vez que os minérios que foram encontrados em pesquisas na região estão em uma profundidade 400 metros, o que que equivale a um prédio de cerca de 133 andares.

Pessoas em busca de ouro em — Foto: Divulgação

Atualmente há aproximadamente 500 pessoas no garimpo.

Há dois meses aproximadamente mil pessoas ocupavam a área, localizada em uma área particular em uma . A notícia de que tem ouro no local se espalhou rapidamente por meio de fotos divulgadas em aplicativos de celulares e redes sociais.

Representantes das forças de estadual, federal, Departamento Nacional de Mineração (DNPM) e Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) se reuniram na Secretaria de Estado de (), em Cuiabá, para tratar sobre as condições do garimpo ilegal. Os profissionais identificaram, por exemplo, que imagens que mostravam grandes pepitas de ouro não são da região.

O deslocamento de pessoas até a região teve início em setembro, quando iniciou a veiculação de informações anunciando falsamente uma nova ‘Serra Pelada’, em alusão ao maior garimpo a céu aberto do .

Ainda de acordo com a Sesp, as forças de segurança atuarão em conjunto para realizar a retirada das pessoas do local, identificação e responsabilização civil, criminal e ambiental, além de estabelecer planos para recuperação da área degradada.

No entanto, ainda não há data para que isso ocorra.

O Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) determinou a das atividades no garimpo clandestino.

O DNPM já havia comentado que as pessoas que estão ocupando a área não têm autorização do órgão para qualquer tipo de extração mineral.

O órgão também alerta que toda e qualquer atividade de extração mineral no país sem autorização é caraterizada como usurpação do patrimônio mineral da União, uma atividade ilegal à luz da legislação mineral brasileira.

O Saiba Tudo Mato Grosso (MT) é um site sem vínculos partidários, sem preconceitos ideológicos e não está a serviço de grupos econômicos. O nosso valor é a qualidade da informação.