Anúncios

O recém-eleito deputado federal , (PP) foi alvo de um mandado de prisão na manhã desta sexta-feira (09). A prisão foi confirmada pela na cidade de Rondonópolis (218 km de Cuiabá).

Wilson Dias/Agência

A operação batizada de ‘Capitu’ investiga suposto esquema de corrupção no ministério da Agricultura durante o governo da ex-presidente Dilma Roussef (PT).

A Polícia Federal cumpre nesta sexta-feira (9)  63 mandados judiciais de busca e apreensão e 19 mandados de prisão temporária, todos expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Foram mobilizados 310 Policiais Federais nos estados de Minas Gerais, São Paulo, , Mato Grosso, Paraíba e no .

Em Mato Grosso, o alvo é o deputado federal eleito Neri Geller (PP), que teve um mandado de prisão cumprido. Outros detidos são o vice-governador de Minas Gerais, Antonio Andrade (MDB), os executivos da JBS, Joesley Batista, Ricardo Saud e Demilton de Castro, e ainda o deputado estadual mineiro João Magalhães.

A operação é baseada na delação de Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB. Segundo as investigações, havia um esquema de arrecadação de propina dentro do Ministério da Agricultura para beneficiar políticos do MDB, que recebiam dinheiro da JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, em troca de medidas para beneficiar as do grupo.

Em 2017,  durante delação premiada à Procuradoria-Geral da República, o empresário Joesley Batista revelou que atuou com o ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ) e Lúcio Funaro em esquema de corrupção no Ministério da Agricultura para favorecer as empresas.

LISTA DE PRESOS

Antonio Andrade, vice-governador de Minas e ministro da Agricultura
Joesley Batista, executivo da JBS
Ricardo Saud, executivo da JBS
Demilton de Castro, executivo da JBS
João Magalhães, deputado estadual pelo MDB de MG
Neri Geller, deputado eleito pelo PP de MT, que foi ministro da Agricultura de março a dezembro de 2014, durante o mandato da presidente Dilma Rousseff (PT).
João Magalhães (MDB), deputado estadual

Outro lado

A assessoria jurídica de Neri Geller disse que vai se posicionar assim que tiver conhecimento dos motivos da prisão. Confira nota abaixo.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Sobre a operação da Polícia Federal, deflagrada nesta sexta-feira (09/11), envolvendo o deputado federal Neri Geller, seus advogados esclarecem que, tão logo conheçam os motivos ensejadores da prisão e o inteiro teor do processo irão se manifestar.

Assessoria Jurídica

O Saiba Tudo Mato Grosso (MT) é um site sem vínculos partidários, sem preconceitos ideológicos e não está a serviço de grupos econômicos. O nosso valor é a qualidade da informação.