Anúncios

A tão aguardada obra de reforma da Escola Estadual Emanuel Pinheiro, iniciada em fevereiro deste ano, está paralisada desde o último mês de agosto. Inicialmente, a previsão era de que a obra fosse entregue em 120 dias, mas passados mais de oito meses, nada da mesma ser concluída e, enquanto as obras estão paradas, os alunos da unidade escolar estão tendo suas aulas em um prédio alugado.

Inicialmente, a previsão era de que a obra fosse entregue em 120 dias, mas passados mais de oito meses, nada da mesma ser concluída – Foto: Denilson Paredes

Questionada sobre os motivos da paralisação das obras, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) confirmou por meio de nota que recebeu um documento em que a empresa contratada para realizar a obra pede para paralisar a mesma e que o seu setor jurídico analisa o pedido e que a construção não poderia ser paralisada até a autorização da pasta. No entanto, não cita quais seriam os motivos que levaram a empresa a desejar parar as obras, que aparentemente estão em estágio bem avançado.

Apesar da argumentação da Seduc, a obra está paralisada há quase três meses e os seus alunos estão sendo atendidos em prédio alugado, gerando custos para os cofres públicos. A nota da Seduc em nenhum momento cita quando as obras devem ser retomadas e nem quando a escola erá entregue de volta à sua comunidade escolar.

Fundada em março de 1975, a escola estava com sua estrutura em estado crítico e nunca tinha recebido uma reforma geral até então. Entre as melhorias que a unidade escolar receberá está a reforma completa do telhado, da pintura, reforma nos banheiros e uma nova instalação elétrica. O custo total da reforma está orlado em R$ 600.740,21.