Anúncios

Uma da Confederação Nacional do Transporte (CNT) aponta como o 15º Estado brasileiro em quantidade de rodovias consideradas boas e ótimas. O estudo foi divulgado na última quarta-feira (17).

Conforme o levantamento, 40,5% das estradas que cortam o Estado são avaliadas positivamente. Destas, 32,8% são consideradas boas e 7,7% ótimas. O Estado fica um pouco acima da média do , que é de 40,1%, mas abaixo da média nacional, de 43%.

A tabela divulgada pela CNT ainda diz que 45,2% das estradas são avaliadas como regulares. Outras 14,3% são consideradas ruins e péssimas.

Em comparação a ouros Estados do Centro-Oeste, Goiás e apresentam mais de 20% de rodovias avaliadas como ruins ou péssimas.

No total, a CNT pesquisou 4,8 mil km de extensão das e estaduais em Mato Grosso, sob controle público ou concessão. Contando em quilômetros, foram avaliados como ótimos e bons 1,9 mil km, como regulares 2,1 mil km e como ruins e péssimos 689 km.

Pesquisa no País

No total, a CNT pesquisou 107.161 km, o que corresponde a toda a malha federal pavimentada e aos principais trechos estaduais, também pavimentados.

De acordo com o levantamento, 57% dos trechos avaliados apresentaram estado geral com classificação regular, ruim ou péssima. Em 2017, o percentual com algum problema foi de 61,8%.

A variável que contribuiu para a mudança dos dados foi a sinalização, que inclui placas de limite de velocidade, faixas centrais, laterais e defensas – elementos inseridos nas vias com a finalidade de reduzir o impacto de possíveis colisões.

Neste ano, o percentual da extensão das rodovias com sinalização ótima ou boa foi de 55,3%. No ano passado, eram 40,8%. A melhora de 14,5 pontos percentuais pode ser explicada pelos avanços nos programas dedicados à adequação da sinalização, sobretudo em rodovias federais.

A Pesquisa CNT de Rodovias também revela que as condições da geometria da via preocupam, pois 75,7% da extensão avaliada foi classificada como regular, ruim ou péssima.