Anúncios

Desde o início de setembro, a concessionária que administra a BR-163, Rota do Oeste, atua na região do Trevão de Rondonópolis, para realizar a tão esperada duplicação até a Cervejaria Petrópolis, que deve por fim às filas e congestionamentos existentes no local. Contudo, até o momento, a não se manifestou sobre a área de sua propriedade em que a obra, que vai contemplar 2,3 km da rodovia, precisa passar.

Obra, por enquanto, só pode acontecer em 520 metros, pertencentes a União – Foto: Arquivo

A trabalha em um segmento de 520 metros dentro da faixa de domínio da União e, para avançar, a concessionária ainda aguarda autorização da gestão municipal para trabalhar na área que pertence ao município, ou seja, a maioria da extensão a receber a duplicação. Com isso, caso essa autorização não aconteça, a obra pode emperrar a qualquer momento.

A reportagem questionou a gestão municipal sobre a situação. Perguntamos se a Prefeitura já decidiu se irá ceder ou não a área e, em caso negativo, qual seria a razão. Apesar da situação ser de grande relevância para a cidade e seu desenvolvimento, não houve resposta.

A obra de duplicação, se solucionado o impasse com a gestão municipal, deve atender o trecho que vai do quilômetro 117,3 até o quilômetro 119,4 da BR-163. Será edificada uma pista nova no sentido Sul (Crystal), conforme o serviço de terraplanagem já feito no local com autorização, além de acessos às marginais e retornos em nível.

A remodelação do Trevão, o maior gargalo do trecho urbano das rodovias federais, ficará para uma segunda fase, também devido a falta de acordo entre a e a Rota do Oeste. O valor total estimado da obra é R$ 35 milhões, custeado pela concessionária.