Anúncios

A cabeleireira Alline Figueiredo Cruz, de 28 anos, que saiu de casa na última quarta-feira (17), no Jardim Mariana, em Cuiabá, para fazer um curso e só reapareceu no domingo (22), na Rodovia dos Imigrantes, no bairro São Matheus, em Várzea Grande, inventou um sequestro para encobrir uma traição. A informação foi confirmada  pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO).

Foto: Divulgação/PJC

A cabeleireira saiu de casa na quarta-feira (17) e o marido comunicou a família na madrugada do dia seguinte, já que ela não voltava pra casa. Todos ficaram desesperados e sem dormir durante os dias em que ela ficou sumida.

O suposto sequestrador havia entrado em contato com a família, através de um chip que estava cadastrado no CPF de Alline. Durante a investigação a polícia descartava a hipótese de sequestro, já que o suposto sequestrador não chegou a pedir nenhum valor em dinheiro.

O delegado titular da GCCO, Diogo Santana, confirmou que a história do sequestro foi forjada para cobrir uma traição. Por conta do fato, a mulher será indiciada por falsa comunicação de crime.