Anúncios

Laurinei Ferreira de Souza, de 36 anos, autor do assassinato de sua ex-mulher, Bianela Mylla Dias da Silva, de 30 anos, no último dia 24 de outubro, foi preso nesta terça-feira (30) pela enquanto transitava na Avenida Couto Magalhães em Várzea Grande. Ao policiais ele confessou que o motivo do crime foi por ciúmes e por não aceitar a separação. Já à Polícia Civil, ele alegou legítima defesa.

Reprodução

De acordo com informações da Polícia Militar, uma equipe foi informada que Laurinei transitava pela Avenida Couto Magalhães e que ele seria o autor de um feminicídio cometido dias atrás. Os militares foram até o local e abordaram o homem.

Ao ser questionado sobre o crime, o homem confessou que teria ido de a um motel com a ex-mulher, no bairro Nova Fronteira, e que lá teria matado a vítima utilizando uma faca que havia levado escondida em seu tênis.

Ele ainda disse que a motivação foi pelo fato de não aceitar a separação e também pelo ciúmes que ele sentia de Bianela. Ele relatou que se escondeu em um matagal durante estes dias que ficou foragido. A polícia então o encaminhou à delegacia.

Legítima defesa

O homicídio é investigado pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), sob coordenação da delegada Jannira Laranjeira que deslocou com equipe para proceder interrogatório após a prisão do suspeito na terça-feira (30).

Em depoimento Laurinei confessou o crime novamente. O investigado disse que a ex-companheira aceitou conversar com ele no motel, que mantiveram relação sexual, mas que ao final a mulher disse que não teria reconciliação e queria a separação.

Ainda de acordo com a versão de Laurinei à delegada, Bianella teria visualizado a faca que ele levou para o local e partiu para cima dele, momento em que segundo o suspeito teria reagido golpeando o pescoço da vítima. Em seguida outros golpes de faca se seguiram.

Segundo a delegada Jannira Laranjeira, o suspeito será indiciado ainda nesta quarta-feira (31) por feminicídio, também foi oficializado o descumprimento de medida protetiva contra familiares da vítima e realizada representação pela prisão preventiva de Laurinei.