Anúncios

Após o fim de semana conturbado no de , devido à chuva da madrugada de sexta-feira (14), que voltou a provocar alagamentos na unidade, a situação começa a se normalizar. O hospital chegou a ser interditado na sexta-feira pela Vigilância Sanitária. No fim do dia de ontem (17), segundo informado pela assessoria do Instituto Gerir, administradora do Regional, três, das cinco salas do centro cirúrgico, estavam liberadas e atendendo a demanda do hospital. “A ala ortopédica e o ambulatório estão atendendo urgência e emergência e, a partir de amanhã, após a finalização do telhado, serão totalmente liberados”, diz nota do Gerir, lembrando também que o telhado da clínica cirúrgica já foi instalado ainda na sexta-feira.

Contudo, funcionários do hospital relataram na manhã de ontem que a chuva da noite de domingo (16) teria provocado novos alagamentos na unidade, atingindo o novo setor de UTIs, inaugurado em 2015. A negou os novos alagamentos. Nesse sentido, há vídeos gravados que mostram o novo setor com várias goteiras, reflexos do telhado retirado para reforma. No período da manhã, também foi observada uma água amarelada e com forte odor escoando da unidade. Segundo alguns funcionários, era a água que estava acumulada no telhado e estava sendo sugada por bombas.

Ainda ontem, o hospital sofreu com outros problemas, como falta de energia na área que está abrigando provisoriamente a administração e falta de água. Ambos foram solucionados ainda pela manhã, mas a falta de água para beber foi relatada por vários acompanhantes de pacientes ao longo do dia. Alguns, tiveram que comprar garrafas de água mineral.

A reforma do hospital contempla a ampliação da ala da emergência e pronto socorro, além da estruturação da recepção social e aquisição de novos equipamentos. O é de R$ 3,2 milhões para a reforma e R$ 100 mil para equipamentos. O serviço, que começou em meados de julho, já resultou em quatro situações de alagamentos devido às modificações realizadas no telhado.

A administração garante que, com a chegada das telhas e os serviços que serão realizados até amanhã, a situação não voltará a se repetir.