Anúncios

No último domingo (9), os termômetros na capital registraram 40,2°C e a umidade chegou a 11%. Isso significa a maior temperatura e o menor índice de umidade do ano, conforme Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Para esta semana, a previsão também aponta altas temperaturas e clima seco, que coloca o Estado em situação de emergência.

A umidade do ar em se compara aos níveis do deserto do Saara [que possui uma média entre 10% e 15%]. Contudo, o período é propenso a incêndios  urbanos e florestais. Ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz são alguns das sensações neste período.

Para esta terça-feira (11), a mínima é de 20ºC e máxima de 40ºC. Não há possiblidade de chuva. Na quarta-feira (12), o dia também deve ser ensolarado, e os termômetros continuam em alta, podendo atingir os 40ºC. Até quinta-feira (13), não há possibilidade de chuva, conforme apontado pela previsão.

Diante dessa perspectiva, a orientou a população sobre as medidas necessárias a serem adotadas durante o período. A medida preventiva tem como principal objetivo possibilitar que o cidadão sofra o mínimo de desconforto possível diante da situação climática. Segundo o diretor de Proteção e Defesa Civil de Cuiabá, Paulo Wolkmer, nesse período, as crianças e idosos fazem parte do grupo mais afetado.

Ele explica ainda que, como consequência da baixa umidade do ar, é possível que a pessoa perceba um aumento na sensação de cansaço, indisposição física, além de uma grande secura na pele, olhos, nariz e garganta. O diretor lembra ainda que outros fatores potencializados pelo clima seco é o aumento na probabilidade de incêndios e, consequentemente, da procura por atendimentos médicos, principalmente por pessoas com alergias.

“A precaução é fundamental para que a preservação da saúde e o de todos estejam assegurados. Por conta disso, nossas principais recomendações é que o consumo diário de água seja aumentado e a exposição direta aos raios solares evitada. Também é indicado que em ambientes fechados faça-se o uso de umidificador, de recipiente com água ou, até mesmo, uma toalha molhada”, sugere Wolkmer.

Seguem abaixo algumas sugestões da Defesa Civil de Cuiabá.

1. Ingerir muita água;
2. Evitar físicos entre 10h e 16h;
3. Evitar grandes aglomerações;
4. Evitar exposição prolongada a ambientes com ar condicionado;
5. Utilizar em ambientes internos, baldes com água, toalhas molhadas e umidificadores de ar (no caso dos baldes com água, observar se eles ficarão fora do alcance das crianças, eliminando os riscos de afogamento;
6. Evitar exposição direta aos raios solares. Caso exposição seja inevitável, utilizar protetor solar, guarda-sol com proteção UV e roupas leves;
7. Não provocar queimadas.

Confira a classificação dos estados de criticidade definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS):

Acima de 30% – Aceitável
Entre 21 e 30% – Estado de Atenção
Entre 12 e 20% – Estado de Alerta
Abaixo de 12% – Estado de Emergência

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.