Anúncios

Um de Cuiabá desenvolveu um aparelho fixador e passador de fio dental durante o para ajudar pacientes com deficiência, em 2013. Marcelo Coelho de Carvalho, que é especialista em periodontia e implantodontia, disse que o aparelho não tem prazo de validade e a duração depende dos cuidados.

Reprodução

O aparelho, que ainda está em processo de evolução, é manual e feito com um plástico resistente. Segundo Marcelo, o aparelho possui 50 cópias, que foram disponibilizadas para a Universidade Estadual de (Unicamp) para ser utilizado em pacientes portadores de necessidades especiais.

“Foi inspirado em uma paciente que não possuía um dos braços e se sentia constrangida de pedir para alguém ajudar passar o fio dental e eu disse que pensaria em algo para ajudar”, contou.

Segundo o dentista, o aparelho também pode ser utilizado por outra pessoa em pacientes que possui limitação total.

“Com o aparelho, não é necessário colocar a mão dentro da boca do paciente, evitando que ele seja contaminado”, explicou.

De acordo com Marcelo, os colegas dele não acreditavam que o projeto daria certo, pois era muito simples.

“Muita gente dava risada e não acreditava que teria utilidade. O primeiro aparelho foi feito de Durepoxi, como teste. Depois comecei a criar o original em parceria com alunos do de , gastei cerca de cinco mil reais”, disse.

O dentista conta que fez uma dentro da escala de produção e concluiu que, caso o aparelho seja colocado à venda, o preço pode variar de R$ 10 a R$ 50.

“O projeto ainda está em análise no Inpi (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) para ser patenteado. Está em processo de evolução e pode ser modificado e melhorado”, pontuou.

 

O aparelho

O aparelho, segundo Marcelo, também pode ser feito com material acrílico ou compósito para que possa ser estelirizado.

“A tensão gerada entre as duas extremidades do aparelho contra a superfície dos dentes, executa um movimento oscilatório e permite a remoção do biofilme dental”, explicou.

De acordo com o dentista, o fio dental deve percorrer o caminho estabelecido pelas perfurações que o aparelho possui, sempre passando uma faixa de fio dental que ainda não foi usada.