O corpo da rondonopolitana Lailla Cristine de Arruda, 19 anos, foi encontrado em um canavial, na zona rural de Sonora – MS, na sexta-feira (1). Após a morte da jovem que foi decapitada, a Polícia identificou e prendeu quatro suspeitos que seriam membros de uma facção criminosa de Mato Grosso do Sul.

A jovem era natural de Rondonópolis – MT, mas estava morando em Sonora, onde trabalhava como garota de programa. Depois da morte, a Polícia descobriu que Lailla estava sofrendo ameaças, pois ela estaria transitando entre duas facções criminosas.

https://www.youtube.com/watch?v=BED0C4d_WO0

A tia da jovem foi até a Delegacia para registrar o desaparecimento desde o dia 29/05. A polícia então iniciou as buscas e descobriu que a última vez que Lailla foi vista teria sido na quinta-feira (31) quando ela entrou em um Gol de cor preta. Ao entrar no veículo, a jovem não sabia que estava indo para um canavial onde seria assassinada.

Ela desceu do carro, ficou de joelhos e teve as mãos amarradas para trás com uma fita vermelha, neste momento os criminosos gravaram um vídeo e fizeram Lailla repetir o que diziam para ameaçar os membros da outra facção. Depois disso, o adolescente de 17 anos desferiu vários golpes de facão em seu pescoço até decapitá-la.

Nesse mesmo dia, policiais viram quando um Gol com essas mesmas características trafegava por uma estrada próximo a um canavial. A Polícia chegou a perguntar o que os quatro faziam pelo local, e eles disseram que estavam tomando banho no rio Cofusão e acabaram sendo liberados.

Rodrigo França, 21 anos, estava dirigindo o carro e Alexandro Silva dos Santos, 24 anos e dois adolescentes de 15 e 17 anos estavam como passageiros.

De posse da informações da morte de Lailla e o local onde o corpo foi encontrado, logo a Polícia chegou até os quatro suspeitos que foram vistos próximos do local do crime. Os quatro foram detidos em flagrante ainda na sexta-feira pela Polícia Civil de Sonora. Tanto Rodrigo quanto Alexandro acusaram os dois adolescentes de autores do crime. Após os menores serem apreendidos eles confessaram a prática do homicídio e contaram com detalhes como foi a ação.

Em depoimento a Polícia, os acusados admitiram que o motivo do crime foi a rivalidade das facções criminosas (entre facções de MT e MS), já que Lailla tinha contato com membros de outra facção criminosa de Mato Grosso.

Os adolescentes contaram que esconderam o facão no canavial, mas os policiais não encontraram. Os envolvidos serão indiciado por homicídio duplamente qualificado (por motivo torpe e recurso que dificultou ou impossibilitou a defesa da vítima).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.