Anúncios

O Sistema de Detecção e Prevenção à Fraude no (Antifraude) impediu que quase meio milhão de reais saísse dos cofres públicos para pagamentos irregulares do benefício, em Mato Grosso. Implantado pelo Ministério do Trabalho em dezembro de 2016, o sistema proporcionou uma economia de quase R$ 1 bilhão até o final de março de 2018, em todo o país.

Nesse período, 93 casos foram registrados em Mato Grosso, quantidade de requerimentos que se tivessem sido pagos, teriam movimentado cerca de R$ 463,75 mil em fraudes. No Centro-Oeste, o maior bloqueio foi realizado em Goiás, onde o sistema detectou 3.712 pedidos do benefício, no total de R$ 20,88 milhões. O estado é o quinto no ranking apurado pelo Ministério, no período. Na sequencia está o Distrito Federal com 997 pedidos apurados e R$ 5,85 milhões. Mato Grosso do Sul teve 33 pedidos bloqueados, o equivalente a R$ 187,73 mil não pagos.

Em todo o país, mais de 61 mil requerimentos bloqueados nesse período, o Antifraude se aproxima do valor de R$ 302 milhões em fraudes bloqueadas em todo o Brasil. “Esses recursos seriam levados por quadrilhas organizadas que, ao longo do tempo, fraudaram e roubaram o dos cofres públicos, mas agora elas estão sendo identificadas e interceptadas, com o uso da de ponta”, afirma o ministro do Trabalho substituto, Helton Yomura.

A economia total, no montante exato de R$ 953.795.549,00 até agora, inclui a soma de R$ 301.901.564,00 em fraudes já bloqueadas e R$ 651.893.985,00 em ilícitos previstos. No primeiro caso, a fraude já ocorreu, mas o MTb conseguiu impedir o pagamento de parcelas previstas. No segundo, são consideradas fraudes evitadas desde o início do projeto, além de uma projeção da Coordenação do Seguro-Desemprego de ilícitos que seriam cometidos nos próximos 12 meses, mas que foram impedidos com o uso da tecnologia. “A previsão é de chegar ao total de R$ 1 bilhão em economia para os cofres públicos no final de abril ou início de maio”, explica o ministro.

ESTADOS – Na última semana de fevereiro, uma operação baseada totalmente em dados do Antifraude cumpriu 19 mandados de prisão e 27 de busca e apreensão nas cidades de Redenção e Conceição do Araguaia, no Pará, e São Luís e São José de Ribamar, no Maranhão. O foco nos dois estados tem motivo: o Maranhão é o líder do ranking de fraudes descobertas, enquanto o Pará ocupa a terceira posição, atrás do estado de São Paulo, que está em segundo.

No caso do Maranhão, já foram detectados 16,9 mil casos de fraudes no Seguro-Desemprego, gerando uma economia de R$ 74,1 milhões. Em São Paulo, o sistema identificou e bloqueou mais de 10 mil requerimentos, evitando o pagamento irregular de R$ 58,4 milhões. E no Pará, com quase 8,5 mil casos interceptados, a economia alcança mais de R$ 45 milhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.