Anúncios

Equipes da Polícia Rodoviária Federal () escoltaram caminhões carregados de combustível, milho e ração, na última quarta-feira (23). O carregamento foi de suma importância para evitar o cancelamento de voos no Aeroporto Internacional Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá). Antes disto, a Empresa Brasileira de Aeroportuária (Infraero) havia dito que estoque duraria só até terça-feira (29).

A superintendência Regional da PRF determinou que os agentes realizem as escoltas daqueles veículos que precisam seguir viagem, mas são impedidos pelos manifestantes. Na tarde de quarta-feira, sete carretas carregadas com milho foram escoltadas por uma viatura da PRF por cerca de 15 km na BR-163, em Diamantino.

A carga tinha como destino criadouros de aves e suínos. Na BR-364, em Cuiabá, os policiais deram apoio a três caminhões com combustível para aviação que precisavam seguir até o aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande.

A PRF informa que busca garantir o direito de ir e vir do cidadão e por isso tem determinando a retirada dos veículos da pista de rolamento, o que tem acontecido de modo pacífico em diversos pontos de concentração dos . Além disso, as escoltas serão realizadas principalmente para os veículos com cargas de insumos para tratamento de água, remédios, produtos perecíveis, ração animal e combustíveis.

Ao menos 11 aeroportos brasileiros estão sem combustível nesta sexta-feira. Entre os administrados pela Infraero, o querosene de aviação acabou em 10 deles, de acordo com estimativas da estatal feita às 13h. O aeroporto de , que é privado, também está combustível.

O Michel Temer anunciou, no início da tarde desta sexta-feira (25), que acionou forças federais para desbloquear estradas ocupadas pelos caminhoneiros em greve. A paralisação entrou hoje no seu quinto dia e tem impactado em diversos setores. A ação foi revelada durante um pronunciamento no Palácio do . Pontos bloqueados subiram para 29, em Mato Grosso.

Na quinta, entre outros pontos, o governo propôs aos caminhoneiros manter a redução de 10% do preço do óleo diesel nas refinarias e reajustar o preço com periodicidade mínima de 30 dias.

A partir disso, a cada 30 dias, a Petrobras vai estipular o preço que será cobrado nas refinarias ao longo do mês. A União vai compensar a Petrobras por eventuais perdas e a estimativa é de que repasse R$ 4,9 bilhões à estatal até o final do ano.

Os caminhoneiros estão passando dia e noite nos pontos de bloqueio. A comida e água que recebem, são de doações. Além disto, acrescentaram que só pretendem desmobilizar o movimento quando o problema for resolvido.

A mobilização foi proposta pela Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) e iniciou na manhã desta segunda-feira (21). Em razão dos pesados impostos e do baixo valor dos fretes, a categoria afirma que enfrenta uma grave crise e articula ações em todo o país para evidenciar o descontentamento com a atual política econômica. A PRF mantêm o diálogo com os caminhoneiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.