Anúncios

Aproximadamente 100 idosos do Centro de Convivência Maria Ignês Auad participaram, na tarde da última terça-feira (13), da primeira edição do projeto “Vida em Movimento”. Durante o projeto, de acordo com a assessoria, os idosos que frequentam a unidade localizada no bairro CPA III, em , receberam atendimentos e realizaram exames laboratoriais e de eletrocardiograma, quando necessário. Os exames são necessários para atestar se eles estão aptos a realizar as atividades oferecidas no local, como hidroginástica, ginástica, caminhada e dança de salão.

]

O projeto idealizado pelo deputado Guilherme Maluf () e realizado em parceria com a Prefeitura de Cuiabá, residentes do curso de medicina da Universidade de Cuiabá (Unic) e Hospital Santa Rosa.

Segundo o coordenador do Centro de Convivência Maria Ignês, Natalino Alves da Silva, os atestados devem ser apresentados todos os anos. “Precisamos ter certeza que eles têm condições para participar das atividades físicas que realizamos aqui, por isso esses exames são fundamentais”, explicou.

A aposentada Ambrosina da Silva Gomes, de 83 anos, relatou as dificuldades que enfrenta para conseguir o atestado exigido para continuar frequentando o centro. “Se eu tivesse que fazer essa consulta e esses exames pelo ia demorar muito para conseguir. Por isso eu digo que essa iniciativa é maravilhosa”, afirmou.

Zilda Maria Fernandes, de 63 anos, disse que estava muito feliz com a possibilidade de realizar as consultas e exames no próprio centro de convivência. Ela frequenta a unidade no CPA III há quase 10 anos e todos os anos paga pela consulta e exames exigidos.

“Eu pago R$ 200 para conseguir esse atestado porque pelo SUS demora muito. No ano passado, por exemplo, eu agendei uma consulta e só consegui seis meses depois. Então esse ano graças a esse projeto eu não vou precisa pagar. Isso é muito bom. Gostei muito”, declarou.

Zilda participa de todas as atividades oferecidas no local. Os resultados, segundo ela, são perceptíveis. Afirma com convicção que a disposição aumentou e a está melhor. “Antes eu sentia muitas dores quando andava e era muito nervosa. Hoje eu não sinto mais dor e também não tomo remédio para pressão”, relatou.

A constatação de Zilda é explicada pela medicina. Segundo a coordenadora pedagógica da residência médica de Medicina da Família e Comunidade do HGU, Dra. Sofia Bernardo, a realização de atividades físicas e laboratoriais gera reflexos positivos à saúde dos idosos.

“É muito importante que eles participem dos oferecidos nos centros de convivência, pois eles contribuem muito para a manutenção da saúde física e mental. Além disso, aqui eles se mantêm em contato com outras pessoas. Dessa forma, permanecem saudáveis e ativos”, afirmou.

Médico por , o deputado Guilherme Maluf também destacou a importância dos cuidados com a saúde do idoso. “O objetivo desse projeto é garantir saúde e qualidade de vida àqueles que já fizeram tanto por nós e que nem sempre recebem a devida atenção do Poder Público. Estou muito feliz em fazer parte disso”, disse.

O projeto “Vida em Movimento” também será realizado nos outros três centros de convivência existentes em Cuiabá e deverá atender os cerca de 2.500 idosos cadastrados nas unidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.