Anúncios

A deflagrou na manhã desta terça-feira (27) uma operação contra um empresário de Abelardo Luz, no Oeste catarinense, por obtenção irregular de crédito rural. Segundo a PF, foram R$ 41,4 milhões obtidos por cerca de 29 pessoas, ligadas ao empresário.

Foram expedidos quatro mandados de prisão temporária e 25 de busca e apreensão em três estados: nas cidades catarinenses de Abelardo Luz,Xaxim, Xanxerê, bem como os municípios paranaenses Palmas, Clevelândia e Pato Branco, além das cidades do Mato Grosso:  e Rosário Oeste.

Conforme a investigação, o empresário usava a família e os funcionários para solicitar os créditos nos bancos, entre 2011 e 2016. Em alguns casos, as pessoas não possuíam qualquer vínculo com a atividade agrícola, como motoristas. Por isso, eram falsificados documentos.

Ainda segundo a investigação, um funcionário de uma instituição financeira chegou a se tornar sócio do empresário para facilitar o processo com cadastros fraudulentos. Os valores individuais de crédito chegavam a R$ 500 mil.

A mulher do empresário também era titular do cartório de Abelardo Luz, e teria facilitado procurações.

Participam da operação 100 policiais para cumprimento das medidas. Até a publicação desta notícia, a PF não havia repassado quantos mandados haviam sido cumpridos.

 

Em Nota à imprensa os cartórios de Abelardo Luz afirmam que apoiaram e ajudaram a desvendar a fraude da Operação Outorga:

A Associação dos Notários e Registradores de Santa Catarina (Anoreg/SC), entidade que representa os cartórios do Estado, manifesta seu total apoio à Operação Outorga, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira (27/3/2018) e, mediante a repercussão do caso, presta os seguintes esclarecimentos:

  1.  Os três cartórios de Abelardo Luz – Tabelionato de Notas e Protestos, Cartório de Títulos e Documentos e Cartório de Registro de Imóveis – apoiaram e colaboraram amplamente com as investigações da Polícia Federal, sendo que este auxílio perdurou por mais de um ano e foi fundamental para apurar a atuação do empresário fraudador, por meio do fornecimento de certidões dos atos praticados pelos envolvidos e de outros documentos necessários.
  2. Apesar de a operação envolver ainda os municípios de Xaxim e Xanxerê, no tocante às serventias apurou-se o envolvimento na fraude somente do Cartório de Títulos e Documentos de Abelardo Luz.
  3.  É fundamental esclarecer que, na época dos fatos relacionados à fraude (2011 a 2016), o Cartório de Títulos e Documentos de Abelardo Luz estava sob a responsabilidade de uma pessoa interina, em razão de a titularidade da serventia ainda não ter sido provida por . Atualmente a titularidade é de uma pessoa concursada, que apoiou e auxiliou nas investigações da Polícia Federal ao longo de mais de um ano.
  4.  A Anoreg/SC apoia totalmente a Operação Outorga e, da mesma forma que os cartórios de Abelardo Luz, está inteiramente à disposição da Polícia Federal no que for necessário, e espera que os responsáveis pela fraude sejam punidos nos termos da lei.

Florianópolis, 27 de março de 2018

Miguel Ortale
Presidente da Anoreg/SC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.