Anúncios

O gari Jerverson Aparecido Cruz, de 30 anos, acusado de ter matado uma menina de 9 anos após estuprá-la, foi condenado a 30 anos de prisão em regime inicialmente fechado. A sentença foi proferida durante o Tribunal do Júri, realizado na terça-feira (20), em .

À época, Jeverson foi quem indicou à polícia o local onde o corpo estava (Foto: /Divulgação)

O crime ocorreu em 2014 em Paranatinga, a 411 km de Cuiabá. O corpo da vítima foi encontrado no lixão do município. O réu foi quem levou a polícia até o local onde o corpo da menina foi deixado.

No processo, segundo o de (), o réu alega que não teve dificuldade em levar a vítima até o local e estuprá-la.

Com medo de que a ela contasse a alguém, Jeverson a asfixiou até a morte. Ele responde pelos crimes de homicídios qualificado, asfixia, motivo torpe e meio cruel.

“A culpabilidade do réu é acentuada. Ele e o padrasto da vitima trabalhavam juntos. Eram amigos e, portanto, o réu frequentava a casa da família, contando com a confiança de todos”, diz trecho da sentença.

 

Jeverson foi preso no mesmo dia, mas estava sem documentos pessoais e apresentou um nome falso. Ele foi solto e preso novamente após indícios o apontarem como o autor do crime.

Ele estava com os documentos e no nome verdadeiro dele constava uma passagem pelo crime de estupro cometido em Cuiabá.

Além da pena de restrição, Jeverson deverá pagar pena pecuniária de 30 dias-multa.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.