Anúncios

Em dez anos, o número de idosos com HIV no Brasil cresceu 103%, segundo o . A falta de políticas públicas para a população dessa faixa etária, o tabu sobre a de pessoas acima de 60 anos e o comércio de medicamentos para disfunção erétil são os principais fatores que se articulam para gerar o problema.

 entrou no mercado há 20 anos. O remédio já atingiu 65 milhões de prescrições médicas em todo o .

Segundo o diretor substituto do Departamento de HIV, Aids e Hepatites Virais do Ministério da , Gérson Fernando, cerca de 39 mil casos de Aids são diagnosticados anualmente no país. Mas a mortalidade tem caído e a sobrevida dos infectados tem aumentado gradualmente.

Para Gerson, os idosos têm dificuldade de usar preservativos porque não foram acostumados a isso durante a juventude. Ele destacou as medidas de prevenção que podem ser aplicadas às diversas faixas etárias e que vão além do uso da camisinha. As ações preventivas incluem a profilaxia pré-exposição, a profilaxia pós-exposição, a testagem de pessoas mais vulneráveis e a vacinação contra os vírus das hepatites B e C.

O diretor substituto finalizou lembrando que o uso de retrovirais também é uma medida de prevenção, pois os pacientes ficam com a carga viral indetectável e, com isso, diminui o risco de transmissão do HIV.

Ouça no player abaixo:

baa654fa6cdf9962f8138d182e1e6d65

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.