Anúncios

Depois de dois adiamentos, o Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit) liberou o trecho de 23,5 quilômetros de duplicação da em pavimento rígido, ligando Cuiabá a Rondonópolis, na região de Olho D’Água, em Santo Antônio de Leverger. O diretor geral do Dnit, Valter Casemiro Silveira, afirmou que pelo menos mais dois trechos duplicados serão liberados neste ano e projetou para o segundo semestre de 2019 a duplicação completa desde a Capital até Rondonópolis, trecho com maior movimento em Mato Grosso.

O licitação ocorreu em Regime Diferenciado de Contrato (RDC) e a empresa Sanches Tripoloni se responsabilizou por todas as etapas, desde o projeto básico até  a execução. “O pavimento rígido é em congredo usinado, com durabilidade o dobro do asfalto normal e dá menos manutenção. Como é um processo de RDC a empresa tem possibilidade de fazer alterações que melhorem a solução aplicada na rodovia”, explicou Valter Casemiro, ao lado do senador Wellington Fagundes (PR) e do deputado federal Ezequiel Fonseca (PP), entre outras autoridades.

A vereadora Giseli Costa Paim (PTB), de Santo Antônio de Leverger, explicou que as crianças da comunidade de Olho D’Água vão de ônibus para a escola. Por isso, pediu e o Dnit acatou a instalação de um redutor de velocidade, no local. Casemiro Silveira explicou que, no futuro, será construída uma passarela destinada à travessia dos pedestres. Giseli Costa Paim recordou que inúmeros sinistros foram registrados naquele trecho da rodovia, nos últimos anos.

O diretor geral do Dnit explicou que foi uma “liberação de pista” e não uma inauguração. “A obra completa prevê a duplicação da pista nova e a restauração da pista antiga. Por isso, a antiga será fechada para fazer a restauração e a nova rodovia vai continuar com a mão dupla. Acredito que em mais dois meses a gente entrega os 23 quilômetros da pista antiga”, resumiu Valter Casemiro.

“É possível que a conclusão seja concretizada até o final do ano que vem, de até Cuiabá… em fins de 2019, com o trecho duplicado. E, assim, vamos gerando maior segurança, maior conforto ao usuário e diminuição dos custos de frete”, complementou Valter Casemiro.

Primeiro parlamentar a apresentar emendas ao Orçamento Geral da União (OGU) no início da década de 1990, Wellington Fagundes observou que trata-se de antigo da população de Mato Grosso, principalmente daqueles que trabalham e que produzem. “Foram feitas reivindicações pela comunidade de Olho D’Água e posso garantir que todas serão atendidas, inclusive a passarela”, ponderou Fagundes, dirigindo um agradecimento ao superintende regional do Dnit, Orlando Fanaia.

“Eu nunca vi uma obra tão bem feita como esta aqui. Desejo agradecer a Sanches Tripoloni pela qualidade e empenho com que feito isto aqui”, avaliou Fagundes, que pediu paciência para todos até que as obras sejam concluídas, em 2019.

Na Serra de São Vicente o DNIT já executa obras de adequação que inclui a construção de uma variante em pavimento rígido (concreto usinado).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.