Anúncios

O clima esquentou durante o debate entre os vereadores na Câmara Municipal de na primeira oitiva da Comissão Parlamentar de Inquérito que ficou conhecida como ‘CPI do Paletó’, na manhã desta quarta-feira (7). Em tese, o servidor da Valdecir Cardoso de Almeida deveria ter ido prestar depoimento, porém não compareceu. No calor das discussões, Dilemário Alencar (PROS) e Adevair Cabral (PSDB) protagonizaram um verdadeiro bate boca no plenário, com tom de voz alterado e dedo em riste.

O vereador Dilemário Alencar (PROS), um dos defensores da CPI desde que ela ainda era uma proposta, disse na tribuna estar estarrecido com a ausência do servidor, defendendo que ele seja conduzido de forma coercitiva para prestar depoimento. Ele também alegou que a documentação apresentada pelo relator Adevair Cabral (PSDB) é uma manobra.

https://www..com/watch?v=NPu3MKEAjZ4

Ao ser mencionado, Cabral interrompeu e os dois acabaram batendo boca, sendo preciso que o da CPI, Marcelo Bussiki, pedisse para desligar os microfones de ambos, porém eles continuaram o bate-boca.

Dilemário ainda foi até a mesa onde ficam os membros da CPI discutir com Cabral dizendo que ele está tentando atrapalhar as investigações. Já Adevair Cabral afirmou diversas vezes que o discurso do colega é demagogo. Os ânimos só foram contidos depois de três minutos.

Como o servidor não compareceu, ele será alvo de uma condução coercitiva em uma nova data. A próxima pessoa a ser ouvida será o ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa no dia 16 de fevereiro.