Anúncios

Após ser levado a delegacia para responder a acusação de ter espancado e tirado a vida do pequeno Davi de 5 anos, Jonas Pereira Teixeira chorou ao tentar explicar o que aconteceu na tarde deste domingo (04) em sua residência no bairro Vila Mariana em .

Chorando, Jonas disse a imprensa que não se lembra de ter estrangulado o filho. “Eu estava usando bastante droga e meu filho tava comigo em casa. Eu tava trabalhando em uma empresa aí e fui acidentado e a mãe dele trabalhando fazendo umas diárias… Desde ontem eu tava usando droga… eu não sei se foi o efeito da droga, o que foi que me deu. Quando olhei ele tava no chão. Corri chamei a vizinha pra levar ele na Upa. Liguei pra polícia, liguei pro Corpo de Bombeiro pra saber o que fazer porque ele tava frio. Não me lembro de ter apertado ele. Não quebrei o rodo de vassora nele, o rodo foi quebrado no cachorro. Se eu tivesse feito alguma coisa com meu filho, eu não teria levado ele na Upa. Eu destruí minha vida por causa de uma coisa que botei na boca por curiosidade (SIC)”, relatou o acusado.

A mãe do garotinho estava inconsolável. “Hoje de manhã ele olhou pra mim e disse, ‘mãe me abraça. Ele não vai me bater não, vai cuidar de mim?’. Eu disse não é pra brigar com o Davi. Eu dei um abraço forte nele e ele disse,’ mãe te amo’. Eu disse a mãe vai trabalhar pra comprar as coisas pra você. Não dá vontade de trabalhar, mas fui com fé. Quando voltei do trabalho não vi meu filho e não vi ninguém e vi que já tinha acontecido alguma coisa. E meu cumpadi chegou e disse que ele tinha matado meu filho. Eu nunca imaginei na minha cabeça que ele ia fazer isso. Ele sempre falava alto (gritava) com ele. Ele (Davi) tinha medo dele (SIC)”, disse aos prantos a mãe.

A chegou na Unidade de Saúde já sem vida e com hematomas na boca, orelhas, rosto, costas, pernas, além de sinais de enforcamento.

Segundo informações de familiares, o pequeno Davi estava contente porque iria começar a estudar na escola.

O crime:

A prendeu em flagrante, na tarde deste domingo (04) Jonas Pereira Teixeira de 30 anos, suspeito de matar estrangulado seu filho de apenas 5 anos de idade. Os policiais foram acionados na Unidade Básica de Saúde (Mini-UPA) Menino Jesus no bairro São Cristóvão.

O acusado foi preso e encaminhado a delegacia. “Nós fomos acionados via 190 e passaram a informação que um pai e uma outra senhora (vizinha) teriam chegado com uma criança no hospital (UPA) aparentando já estar entrando em óbito. A guarnição da área foi averiguar a situação e chegando viu que se tratava que o pai da criança havia agredido ela e segundo e enfermeiros, a criança havia sido asfixiada devido a vários hematomas no pescoço”, relatou o Tenente Rommening da Polícia Militar.

O pai confessou que matou a criança devido ao uso de drogas. “Conversamos com ele novamente. E o que teria levado ele a cometer este ato? Ele falou que foi o uso de drogas”, disse o Tenente.

O acusado é ex presidiário, mas não foi revelado os crimes que cometeu para ser preso.

A mãe estava no trabalho na hora do crime e não presenciou a ação. A família é moradora do bairro Vila Mariana.