Anúncios

Luan Galdino, 17 anos, aluno de escola pública, surpreende com resultado em vestibular e passa em seis faculdades de medicina. E diante de tantas opções, não é de se estranhar que a dúvida de qual escolher deve estar tirando o sono do jovem. Mas se engana quem pensa que a maior questionamento do rondonopolitano é ‘qual universidade se matricular’, pois, na verdade, o que Luan ainda não decidiu é se vai seguir carreira na medicina ou vai se tornar um seminarista.

Reprodução

Aluno do Instituto Federal de (IFMT) Campus , Luan Galdino, além do ensino médio fez também o técnico em Química, o que o ajudou a conquistar menção honrosa em olimpíadas envolvendo o conhecimento já no primeiro ano.

E como qualquer outro adolescente levava uma vida tranquila, conciliando os estudos com alguns hobbys, como jogar vôlei, nadar e tomar com os amigos. Mas foi no inicio de 2017 que definiu que precisava de foco total para conquistar seus objetivos.

Então, abriu mão de todas as atividades de lazer que fazia durante a semana e com uma média de 12 horas direcionou os estudos para o Exame Nacional do Ensino Médio (). Foram mais de 60 redações ao longo do ano e muitas listas de exercícios (principalmente nas matérias que tinha mais dificuldade).

Uma das metodologias adotadas pelo estudante para conseguir a nota 913,9 na redação do Enem foi direcionar as pesquisas para problemas sociais, e com a ajuda das professoras de português ia corrigindo as falhas que tinha. O tema da última prova foi sobre educação de surdos, e apesar de não ter visto especificamente o assunto, o domínio na área social estava na ponta da língua, ou melhor, do lápis.

Com relação as outras matérias, os estudos começaram com uma recapitulação dos conteúdos do primeiro e segundo ano do ensino médio, através de vídeo aulas e muitos exercícios no final para conseguir fixar o que havia aprendido, com isso, o estudante explica que assim conseguiu compreender muitas matérias, não precisando decorar nenhuma fórmula. E na redação e , que eram as principais dificuldades, foi dada uma atenção especial, para que houvesse um equilíbrio nas notas.

E para não pirar em meio a tantos estudos, Luan conta que não abriu mão do tereré, e sempre fazia algumas pausas. E os domingos eram sagrados – Nada de livros! “Para não dar uma pirada eu dava uma andada, ia conversar com alguém, ia tomar um tereré. Mas era coisa de 20 minutos para descontrair”, conta.

As seis faculdades de medicina que Luan Galdino foi aprovado foram: Universidade Federal de Viçosa (UFV), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Universidade de Pernambuco (UPE), Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) e Universidade Federal do Pampa (Unipampa).

Todas elas precisaram fazer a primeira fase um vestibular interno, e a segunda fase foram utilizadas a nota do Enem, no qual o estudante tirou 848,7. Mas por opção própria, Luan decidiu não concorrer ao Sistema de Seleção Unificado (Sisu), pois já estava feliz com a aprovação nos outros vestibulares.

Contudo o suspense ainda paira no ar, como o coração do jovem ainda não decidiu qual caminho trilhar, só resta esperar. Mas uma coisa ele tem certeza: “Quero fazer algo para servir as pessoas, é isso que sinto vontade, então o que eu me sentir melhor, vou fazer”, diz.