Anúncios
Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, firmou convênio para a compra de caminhões basculantes em (: Carlos Silva /MAPA)

Os ministros das Cidades, Alexandre Baldy, e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, anunciaram nesta terça-feira (6), em Rondonópolis, a 218 km de , a liberação de recursos para a retomada de de habitação e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

Os ministros ainda firmaram convênio para a compra de caminhões no valor de R$ 1,1 milhão que serão usados para melhorar estradas vicinais e auxiliar os produtores rurais da cidade.

Serão repassados R$ 14,9 milhões para serem investidos em obras de saneamento no município. O acordo para que o repasse seja feito foi assinado nesta manhã, na Câmara Municipal de Rondonópolis.

O dinheiro deve ser usado para a construção de quatro novos sistemas de tratamento nas regiões do aeroporto, Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Verde Teto e Buriti. Serão, ao todo, 10,4 quilômetros de adutoras, cinco reservatórios e 128 quilômetros de rede de distribuição. Segundo o ministério, a expectativa é de que a obra beneficie 23.767 famílias.

Durante a visita, o ministro Alexandre Baldy autorizou a suplementação de recursos para a retomada das obras do Residencial Celina Bezerra, cujas obras, que estão paradas desde 2013, preveem a construção de 1.440 apartamentos. A antiga construtora deixou o canteiro de obras alegando falência.

“A nova empresa deverá reiniciar no prazo de até 45 dias a retomada das obras, que hoje apresentam 5% de evolução, para que a gente consiga promover e renda e entregar as moradias”, disse.

De acordo com o prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio, as obras que serão reiniciadas e as que foram lançadas somam mais de R$ 100 milhões.

Já o ministro da Agricultura firmou convênio para a compra de caminhões basculantes que serão usados pela e prometeu intervir junto ao Ministério da Integração para a liberação de recursos para melhorar as estradas e pontes rurais da região, que já estavam em condições ruins e ficaram ainda mais comprometidas após as chuvas.

“O Ministério da Integração Nacional detém verbas para isso. Inclusive, na parte do orçamento da União, existe disponibilidade de recursos para esse tipo de emergência. É o tipo de situação que deverá ser recorrido a esse ministério, mas é claro que nós, politicamente, vamos ajudar a fazer os encaminhamentos em Brasília”, afirmou.