Anúncios

que cursaram em instituições no exterior afirmam que sofrerão prejuízos milionários com a mudança no edital da Universidade Federal de de dezembro de 2017, relacionado à revalidação do no Brasil. Ele disseram  que a mudança foi repentina e o prazo até a realização da prova é curto. A disse que há uma confusão com relação aos editais e que o último edital é complementar e não anula o anterior.

De acordo com o denunciante a UFMT abriu um edital em 2016 para os médicos que desejavam fazer suas complementações de estudo (atualização médica). Mais de 800 médicos teriam se juntado a este método para revalidar seus diplomas, no entanto, eles dizem que a UFMT decidiu esperar até que a complementação acabasse em dezembro de 2017 para implantar um novo edital.

Com isto, de acordo com os denunciantes, as regras e requerimentos para a revalidação dos diplomas foram mudadas, fazendo com que tudo o que os médicos já haviam providenciado (estágios, provas, congressos, etc) para o primeiro edital fosse descartado. O denunciante também reclama que terão que fazer uma prova sobre o conteúdo de toda a medicina no próximo dia 18, dando a eles menos de 60 dias para estudar temas de especialistas.

Eles reclamam que com a mudança repentina vários tiveram prejuízos financeiros, alguns perdendo mais de R$ 100 mil, segundo o denunciante.

A Universidade Federal de Mato Grosso explicou que o processo de revalidação do diploma de médico possui três etapas, e que o edital de dezembro de 2017 não anula o anterior, de 2016, e é apenas um edital complementar, exclusivamente para os candidatos que não passaram nas duas primeiras etapas.

Leia a nota na íntegra:

O processo de revalidação de diploma de médico graduado no exterior da Universidade Federal de Mato Grosso é regido por um edital da Faculdade de Medicina que estipula três etapas: a entrega e análise dos documentos; prova escrita e prática; e estudos complementares. Todas são realizadas pela UFMT, exceto parte da terceira, que é dirigida, única e exclusivamente, aos que não obtiveram êxito na etapa anterior.

Ainda segundo o edital, os candidatos que não conseguirem realizar os estudos complementares nas vagas ofertadas pela Faculdade de Medicina, podem realizar esses estudos em qualquer outra instituição que ministre reconhecido pelo Ministério da Educação e que tenha aderido ao Edital de Adesão das Instituições de Ensino Superior Brasileiras para oferta de vagas de estudos complementares.

Neste ano, a Faculdade de Medicina, em conformidade com a Liminar da Ação Civil Pública que tramita na 3ª Vara da Justiça Federal de Mato Grosso, lançou, em 15 de dezembro, o edital complementar 04/2017, que convoca os candidatos que concluíram os estudos complementares em outras instituições de ensino superior para fins de revalidação de diploma de médico graduado no exterior realizarem prova escrita e prática.