Anúncios

Um homem identificado como Claudemilson Paixão Rodrigues, de 34 anos, é acusado de fazer a própria família refém e perseguir a esposa e o filho, de 13 anos, com um espingarda. Alcoolizado,ele chegou a realizar diversos disparos, ameaçando também sua sogra e o cunhado. A situação foi registrada em um sítio na comunidade Estiva, nas proximidades de (353 km de ).

À Polícia, a mulher do suspeito informou que eles são moradores de uma fazenda em (281 km de Cuiabá) e que teriam ido ao município vizinho para receber seus salários e fazer compras. Na sequencia Claudemilson foi para um bar, para beber e jogar sinuca. Cansada de esperar, a mulher disse que ia para casa da mãe, onde a confusão aconteceu.

No local suspeito chegou em um veículo Fiat Uno e parou próximo à residência. Na sequencia desceu e chamou a esposa para ir embora, mas ela disse que não iria, porque ele estava bêbado e armado. Além da mulher, do filho e da sogra, no local também estavam uma sobrinha e seu cunhado.

De acordo com o boletim de ocorrência, para intimida-la, o homem levantou a camisa e mostrou a arma que estava em sua cintura, dizendo que ela iria por bem ou por mal. Diante da negativa da vítima ele chegou afirmar que levaria parte de sua cabeça, voltando ao veículo para pegar a arma.

Percebendo a situação, a mulher e o adolescente fugiram para um matagal, momento em que o criminoso passou persegui-los, realizando vários disparos. Como não conseguiu encontrá-los, Claudemilsson voltou à casa e apontou a arma para a sogra, de 68 anos, dizendo que se ela não chamasse a filha, mataria a ela e ao cunhado.

A (PM) de Salto do Céu foi acionada e, com apoio de equipes de Rio Branco estiveram na propriedade rural, onde foram  foram recebidos pelo cunhado do suspeito. O homem contou que o criminoso estava do lado de fora, com uma espingarda cartucheira e já tinha atirado várias vezes, chegando a apontar para a idosa, que passou mal de nervosismo.

Para evitar feridos em um possível troca de tiros, a família foi retirada da casa, cercada pelos profissionais enquanto os mesmos tentavam conversar com o suspeito. Depois de procurar pelo quintal e dentro da casa, a PM percebeu que o homem deixado o local. Durante a fuga a mulher conseguiu abrigo em um sítio vizinho, mas acabou se perdendo do filho.

O menino, escondido em um matagal apareceu após ouvir os gritos da mãe. Assustado ele contou que permaneceu deitado no chão, como medo de ser encontrado pelo pai. Embora tenham realizado rondas pelas proximidades, os policiais não encontraram o acusado. Ele deixou o carro e a carteira no local, com seus documentos pessoais e R$ 750, que foram entregues à esposa.