Anúncios

Um vídeo, que circula pelas redes sociais, mostra o terror vivido por pacientes e uma criança dentro da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Morada do Ouro, em Cuiabá, instantes depois de criminosos invadirem o local para tentar resgatar um preso. Cinco pessoas ficaram feridas, sendo que um bebê de seis meses está entre os baleados. Até o momento, ninguém foi preso.

Nas imagens, gravadas por uma pessoa que estava na UPA, é possível ver uma das vítimas sendo socorrida e colocada em uma maca. Logo depois, aparece uma criança chorando, gritando pela mãe: “Minha mãe, minha mãe”. Ainda no fim, quem filma a situação comenta: “Entrou um monte armado, eles estavam tudo em um Ka”.

https://www..com/watch?v=QxJVZ9oTaF0

De acordo com as informações colhidas pela equipe de plantão da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), coordenada pelo delegado Marcelo Jardim, três homens armados tentaram resgatar o preso, que estava realizando triagem na recepção da unidade de saúde. Eles teriam feito uma mulher refém, contudo, os agentes penitenciários, que faziam a escolta do preso, em rápida ação evitaram o resgate.

Houve troca de tiros, resultando nos cinco feridos. Cápsulas de projeteis de armas de fogo foram recolhidas no local e serão encaminhadas à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), que também esteve no local realizando a coleta de vestígios para auxiliar nas investigações da Polícia Civil.

De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) ficaram feridos: o agente prisional D.P.P.; o bebê de 6 meses V.H.C.M.; a mãe da criança, E.C.S., 22 anos; a paciente D.S.R.; e R.S.S., que foi atingida por um disparo na perna.

No dia seguinte à invasão, o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) responsabilizou o governo de Mato Grosso, principalmente a Secretaria de Estado de Justiça e Direito Humanos (Sejudh), pelo ocorrido. Ele observou que não foi respeitado o Manual de Procedimento Operacional Padrão (POP Geral) do sistema penitenciário de Mato Grosso.

O secretário de Estado de Segurança Pública, Gustavo Garcia, disse na tarde desta quarta-feira (14) que o fato terá resposta forte do Estado. Ele também garantiu que o delegado Marcelo Jardim deverá ser nomeado e irá apurar as circunstâncias do fato.