Anúncios

Uma aposentada de 55 anos, moradora do bairro Village Flamboyant, na região do Santa Rosa em Cuiabá, foi vítima de uma invasão a sua residência na noite desta quinta-feira (22). Ela e seu marido foram rendidos por quatro homens, que roubaram jóias, e aparelhos de celulares. Ela criticou a falta de na região e disse que os bandidos sempre chegam às casas das vítimas pela Vila Militar do . Nenhum suspeito foi encontrado.

A aposentada contou que por volta das 20h quatro homens armados teriam pulado o muro de sua casa, vindo da Vila Militar. Os bandidos mandaram que ela e o marido deitassem no chão, com a cabeça abaixada. Eles vários itens de valor.

“Entraram quatro pessoas pela porta da cozinha e renderam a mim e ao meu marido. Colocaram a gente no chão e não deixavam a gente levantar a cabeça. Roubaram as nossas alianças, pedia mais jóias e dinheiro também”, contou a aposentada.

A ação durou cerca de 25 minutos. Um entregador de lanches que passava pela região viu as vítimas deitadas e acionou a polícia. Ao ver o motoqueiro os bandidos fugiram.

A Polícia Militar foi acionada e chegou ao local rapidamente. Após buscas conseguiu localizar apenas um dos aparelhos roubados em um matagal próximo à região. Nenhum dos homens foi identificado.

Os moradores do bairro Village Flamboyant formara uma associação para cuidar do do bairro, mas principalmente por causa da falta de segurança. Segundo a aposentada, invasões acontecem com freqüência na rua em que mora, sempre de pessoas que pulam o muro da Vila Militar.

O diálogo com o Exército já foi iniciado e agora eles permitam que a polícia entre no terreno para procurar pelos suspeitos ou por pistas, o que não acontecia antes. No entanto, a moradora cobra que a vigilância seja intensificada para acabar com as invasões.

“Esta conversação está muito morosa, a gente precisa de uma coisa mais efetiva para evitar que realmente eles tenham facilidade de entrar no círculo militar. Eles não poderiam entrar lá, porque se você, um cidadão, for lá com um carro vão te barrar lá, não vão deixar você entrar, e como que um ladrão pode pular um muro lá? Então eles tem que cuidar destes pontos vulneráveis que tem, por onde os ladrões entram”, desabafou a vítima.

O Olhar Direto tentou entrar em contato com a 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, que responde pelo em Cuiabá, mas não fomos atendidos pelo telefone disponibilizado no do Ministério da Defesa.